segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Melhore o humor e perca peso com a Griffonia simplicifolia

fonte: http://www.vipformulas.com.br/upload/anexos_produtos/Microsoft%20Word%20-%205HTP.pdf

O nome parece um código científico: 5HTP. Significa 5 hidroxitriptofano, que age da mesma forma que o triptofano, substância precursora da serotonina, o neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Só que é mais poderoso no processo da felicidade. “O 5HTP sai da corrente sanguínea mais facilmente em direção ao cérebro,onde aumenta a síntese da serotonina no sistema nervoso central”, afirma Wilson Rondó Júnior, clínico-geral especialista em terapia ortomolecular, de São Paulo. Níveis elevados de serotonina contribuem para garantir prazer e melhorar o humor. Outro ponto a favor da dieta: “Bem humorada, você tem mais jogo de cintura para driblar as dificuldades que acompanham um programa de emagrecimento, como reduzir guloseimas e cortar frituras”, afirma o consultor de nutrição Alfredo Galebe, de SãoPaulo. E, de quebra, sobra energia para você caminhar, correr ou fazer outras atividadesque queimam calorias.

A serotonina em alta também minimiza os ataques incontroláveis de gula e, por isso, os assaltos à geladeira ficam mais raros. “A falta desse neurotransmissor no cérebro está intimamente associada à compulsão alimentar e ao aumento do desejo de massas e doces”, diz a médica ortomolecular Heloísa Rocha, do Rio de Janeiro. Apesar disso, o 5HTP não é considerado um recurso mágico para se livrar dos quilinhos extras. “A substância facilita o processo, mas não dá para fugir: é você que tem de fazer o esforço para malhar e não furar a dieta”, avisa Galebe.

Extraído do Griffonia simplicifolia, legume originário do oeste da África, o 5HTP não é exatamente uma novidade. Há 30 anos é estudado em vários países.

sábado, 29 de agosto de 2009

Denúncia de crime contra os animais cometido pela Rede Globo

Abaixo transcrevo DENUNCIA contra a REDE GLOBO que lança mão de todos os recursos para atrair audiência. Essa emissora poderia ter uma papel preponderante na defesa dos valores morais e na proteção dos mais fracos, incluindo-se aqui os animais que passam por autêntico holocausto no país. Na realidade essa emissora vai no sentido contrário e mostra desprezo e desrespeito à valores como ética, compaixão e cidadania.

Parece que essa emissora é a quarta do mundo. Incrível que a viuva do falecido Roberto Marinho, Dona Lily Marinho é tida como uma pessoa espiritualizada, no entanto tudo indica que a direção da empresa está nas mãos de mercenários, que em detrimento de pontos de audiência lançam mão de toda sorte de programa, não importando se para isso têm que passar por cima de valores essenciais a qualquer ser humano em pleno século XXI.

O poder destrutivo dessa postura da Globo é imenso, jovens que já vêem de uma formação escolar defeituosa, ao assistiram as atrocidades como essas divulgadas pela Globo, tendem a multiplicar atitudes que traduzem retrocesso moral, desprezo aos mais fraços e atitudes covardes que podem inflingir dor e sofrimento aos animais.

Eu acredito fortemente que dentro da REDE GLOBO, existam diretores e outros funcionários que não compactuam com certas apelações, que ultimamente estão cada vez mais frequentes nessa emissora. A esses senhores recomendo que ao invés de se calarem e aceitarem isso, que tenham a atitude digna de tentarem resgatar o real papel que deveria ter a globo, ou se não puderem que tenham a dignidade de procurarem locais mais éticos e adequados para trabalharem.

Vejam a abaixo a excepcional denúnica da UIPA.


DENÚNCIA:

UNIÃO INTERNACIONAL PROTETORA DOS ANIMAIS – UIPA
RUA FRANCISCO HOLANDA, 590 – DIONÍSIO TORRES
FORTALEZA – CEARÁ – CEP: 60.130-040
TELEFONES: (0XX85) 3261.33.30 e 9994.45.523

E-mail: geuzaleitao@bol.com.br

CNPJ n.º 35065.275/0001-98 – ISS n.º 15.772-4
Declarada de utilidade pública pela Lei Municipal n.º 6652/1990 e Dec.Fed. n.º 6504

ILMA. SENHORA

DRA. SHEILA CAVALCANTE PITOMBEIRA
COORDENADORA DA CAOMACE (Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Ceará)

Quando o assassinato de um animal, especialmente com requintes de perversidade, for na verdade, punido como crime hediondo, aí o homem terá justificada sua condição de racional.

Geuza Leitão
Ativista protetora dos animais

UINIÃO INTERNACIONAL PROTETORA DOS ANIMAIS – UIPA, por sua representante legal que esta subscreve, vem, perante V. Sª., solicitar, que, no uso de suas atribuições legais, tome para si a titularidade de solicitar a tutela jurisdicional do Estado, para o crime praticado no município cearense de Flecheiras, onde animais são comidos vivos - dentre outras crueldades -, cuja gravação se destina ao programa NO LIMITE, da rede Globo de Televisão, pelos fatos expostos a seguir:

1. No programa que vai ao ar todas as semanas, são exibidas cenas de crueldade contra os animais como se fossem demonstrações de coragem. Os participantes disputam prêmios de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), sendo incentivados a comer o que chamam de “comidas exóticas” para ter direito a imunidade dentro do jogo.

2. No programa as “iguarias” são uma grande demonstração de desrespeito aos animais, ocasião em que animais vivos, mortos ou partes deles, são tratados como coisa repugnantes associadas a um desafio ou, ainda mais absurdo, à diversão.

3. No dia 16 de agosto de 2009, além dos olhos de cabra que cada participante deveria ingerir, os concorrentes comeram três peixes vivos (que receberam dentro de um copo com água e que deveriam ser mordidos antes de engolidos). Os participantes foram orientados pelo apresentador Zeca Camargo, da Globo, a morder o peixe no meio (o peixe vivo), engolir a metade, mostrar a outra metade e depois engolir.

4. A demonstração de crueldade terminou com a imagem insana de pessoas forçando a ingerir dois ovos galados (ovo com um feto de galo quase totalmente desenvolvido). O apresentador ainda fala “ovo galado, quase frango”..

5. O reality-show já é reincidente em demonstração de maus tratos a animais. Logo na estréia, o programa feriu o Art. 32 da Lei n.º 9.605, de 12.02.1998 que proíbe atos de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais qualquer que seja sua espécie, quando foi mostrado a hora exata em que os participantes cortam a garganta de duas galinhas e elas ficam se retorcendo enquanto sangram até a morte.

6. Ressalte-se, que a lei permite o abate de animais para saciar a fome do agente e de sua família. Contudo há de ser aplicado o abate através de métodos não cruéis. No Ceará temos a Lei do Abate Humanitário (Lei nº. 12.505/1995) que proíbe em todo o Estado o abate através de métodos arcaicos e cruéis, obrigando a utilização do método científico. A Resolução 714/2002 do Conselho Federal de Medicina Veterinária estabelece em seu anexo, os métodos a serem adotados no bate de animais de todas as espécies.

7. De início cabe asseverar que o mérito do pedido tem matriz constitucional, vez que o Art. 225, § 1º, VII da Carta Magna, protege os animais de toda e qualquer forma de crueldade.

8. Procurando efetivar a tutela do meio ambiente, desta feita no âmbito criminal, foi editada a Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/98), que em seu Art.32, caput dispõe: “Praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos” Pena: detenção de 3 (três) meses a 1 (um ) ano, e multa”. Ainda com o agravante do § 1º , que aumenta de um sexto a um terço a pena, se animal vier a morrer.

9. Assim sendo, a par de sanções outras de natureza cível e administrativa, o ordenamento penal, em que pese seu princípio de subsidiariedade e fragmentariedade - isto é, só se considera crimes aquelas condutas de tal gravidade que os outros ramos do direito não bastem para evitá-las e puni-las - elegeu como objeto de proteção com a imposição de pena criminal.

10. Ontologicamente os crimes são os mesmos, sejam administrativos, cíveis ou penais. Ocorre que o crime, ilícito penal, é o mais grave de todos, a tal ponto que a lei imputa restrição à liberdade daquele que o comete.

11. Ora, se o direito positivo afirma categoricamente que abusar, maltratar, ferir ou mutilar animais é crime, como se permitir que ocorram esses abusos na TV, onde estão a fazer apologia do crime, se tal prática chancela judicialmente conduta que a Lei e a Constituição condenam, inclusive - nunca é demais repetir - tipificando-as como crime?

12. Condenam-se a violência, o desrespeito aos direitos de outrem, os assaltos, o seqüestro, e muitos outros processos de enriquecimento ilícito e não se apercebem as autoridades competentes que toda agressão ao meio ambiente, todo incentivo à violência, tudo atenta contra o próprio homem e sua destinação histórica e cultural, fazem despertar e estimular os instintos dos ancestrais antropóides.

13. Escritores, juizes, promotores de renome no nosso país, se preocupam com o tema, a exemplo do Juiz Federal, Dr. Danilo Fontenele Sampaio da 11º Vara da Justiça Federal do Estado do Ceará, em artigo publicado na Revista da OAB-CE, que cita o Art. 32º da Lei nº 9.605/1998, atestando que quem, de qualquer forma participa da prática de crime, incide nas penas a ela cominadas na medida de sua culpabilidade, referindo-se a pena que deve ser aplicada aos organizadores e patrocinadores dos eventos, como também, às empresas jornalísticas que divulgam o crime.

14. O juiz de direito de São Paulo, Dr. Antonio Silveira R. dos Santos, no artigo intitulado “Maus-tratos e crueldade contra animais: aspectos jurídicos”, alude ao tema, mencionando o descumprimento da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, dispondo que “ em nossa legislação atual maltratar animais, quer sejam eles, domésticos ou selvagens, caracteriza-se crime ecológico, conforme o Art. 32 da Lei 9.605/98, ou seja, maltratar animal é crime”, enfatizando que o Decreto Federal 24.645/34, que ainda está em vigor quanto ao que se pode considerar maltratar, elenca nos artigos 3º ao 8º os atos assim considerados”.

15. O promotor de justiça de São José dos Campos, em São Paulo, Dr. Laerte Fernando Levai, em seu livro “Direitos dos Animais”, afirma que “sem risco de engano, que um dos dispositivos mais importantes para salvaguardar de agressões os animais é o artigo 32 da Lei dos Crimes Ambientais: “Praticar ato de abuso, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos” - em que o legislador estabelece ao infrator pena de três meses a um ano de detenção, além da multa. Qualquer animal pode ser vítima da crueldade humana, seja ele manso ou bravio, silvestre ou doméstico, nativo ou exótico, da terra ou do mar. É o que se costuma denominar “tipo penal de conteúdo misto ou variado”, porque sua ocorrência perfaz-se com inúmeras condutas: ABUSO: significa uso incorreto, despropositado, indevido, demasiado. Em suma, o mau uso. Caracteriza-se, por exemplo, na hipótese do cavalo submetido ao pesado fardo das carroças, etc. MAUS TRATOS: é um vocábulo que se subsume na moldura da sevícia, relacionando-se ao ultraje, ao insulto e à violência capaz de expor animal a uma situação de sofrimento, Consuma-se com a ocorrência de um ato agressivo em relação ao animal, independentemente da causação de lesões físicas ou da morte. A ofensa corporal ou psíquica, o castigo a eles impingido, sua manutenção em lugares insalubres, etc. Não é necessário para a configuração, obter prova pericial – laudo ou atestado veterinário – porque às vezes a prática delituosa não deixa vestígios (por exemplo um cão que vive confinado em um cubículo ou um cavalo atrelado à pesada carroça). A situação de sofrimento do animal, nessas condições adversas, pode ser comprovada por fotografias ou pelo relato de testemunhas.O próprio Código de Processo Civil, em seu Art. 158, só exige perícia para crimes que deixam vestígios: “Quando a infração deixar vestígios, será indispensável o exame de corpo de delito, direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado”. Ainda assim, se a ação criminosa acarreta lesões físicas (ferimentos ou mutilações) nos animais, o atestado veterinário – apesar de importante – não é imprescindível, porque sua ausência pode ser suprida por via indireta (prova testemunhal ou fotográfica). FERIR: á a ação que machuca e que ocasiona lesões nos animais, ofendendo sua integridade física. Nem sempre, porém, é possível realizar exame pericial no animal atingido, o que não significa que a conduta do agente mereça permanecer impune. Em tais casos, há que se recorrer a outros meios de prova. MUTILAR: á a ação que extirpa determinado órgão ou membro do animal em procedimentos justificados por razões econômicas das mais torpes possíveis.” É o que acontece nas vaquejadas, o que pode ser resumido numa única expressão: CRUELDADE.

16. Publicada em 11.04.1521, as Ordenações Manuelinas - uma das vertentes do direito no Brasil - demonstraram exemplar interesse pela proteção à fauna. Dispunha em seu título LXXXIII - no linguajar utilizado à época - a defender por todos os Reinos que nenhuma pessoa fosse por aí matar ou caçar “perdizes, lebres, nem coelhos ou boi nem com fios de arame, com outros alguns fios, sob pena de quem o contrário fizer, pagar de cadeia dois mil réis por cada vez que nisso for achado, ou lhe for provado dentro de dois meses, e mais perder as armadilhas; nas quais penas isso mesmo incorrerão aqueles cujo poder, ou casa, as ditas armadilhas forem achadas, ora sejam suas ou alheias”.

17. Nos dois últimos séculos surgiram no Brasil várias leis de proteção aos animais, dentre elas o Decreto Federal 24.645/1934 e o Decreto-lei nº 3688/1941, ainda em vigor no que pertine ao que consideram crueldades, tendo em vista que à época os maus tratos contra animais eram contravenção, deixando de o ser, com o advento da Lei nº 9.605/1998 que tipificou como CRIME, os atos de abuso e maus tratos contra animais de qualquer espécie.

18. A Constituição Federal de 1988 destina um capítulo inteiro ao Meio Ambiente e dispõe em seu Art. 225, § 1, VII, ser dever do Poder Público proteger a fauna e a flora, vedadas na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade. E para regulamentar a matéria, foi sancionada no dia 12 de fevereiro de 1998, a supra citada Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605/1998), não fazendo distinção entre espécies de animais, para efeito de aplicação da lei. No Art. 32 a lei estabelece pena de detenção de 3 meses a um ano, e multa. Para regulamentar a multa a que se refere referido artigo, foi sancionado o Decreto Federal nº 6514, de 22 de julho de 2008, que dispõe no seu Art. 29-, verbis:

Art. 29 – Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Multa de R$ 500,00 (quinhentos reais) a R$ 3.000,00 (três mil reais), por indivíduo (Destacamos).

19. O Código Penal Brasileiro dispõe no seu Art. 29: Quem de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade.
E no Art. 287: Fazer publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime: Pena de detenção de três a seis meses, ou multa.
No Art. 288, estabelece pena de reclusão de um a três anos para três ou mais pessoas que se associarem, em quadrilha ou bando, para o fim de cometer crimes.

20. A Declaração Universal dos Direitos dos Animais, proclamada em Assembléia da UNESCO, em Bruxelas (Bélgica) em 27 de janeiro de 1978, da qual o Brasil é um dos países signatários, dispõe no seu Art. 10:

Art. 10 – Nenhum animal deve ser explorado para divertimento do homem. As exibições de animais e os espetáculos que os utilizam são incompatíveis com a dignidade do animal.

JURISPRUDÊNCIA
A Justiça já foi acionada inúmeras vezes, para julgar atentados contra animais em várias modalidades. Podem-se conferir, na jurisprudência abaixo transcrita, casos verídicos em que houve condenação dos réus também nessa modalidade de exploração de animais para divertimento do homem:

Farra do boi - O Supremo Tribunal Federal já se manifestou em matéria análoga, ao proibir a farra do boi em Santa Catarina: “A obrigação de o Estado garantir a todos o pleno exercício de direitos culturais, incentivando a valorização e a difusão das manifestações, não prescinde da observância da norma do Art. 225, § 1º, VII, da CF, que prática que acabe por submeter os animais à crueldade, é o caso da conhecida “farra do boi” (...omisses...). Não se pode deixar de ver, na decisão, desse modo, ofensa a esse preceito constitucional, o que bastante se faz para que o recurso extraordinário possa ser definitivamente conhecido. Dele conhecendo, dou-lhe provimento para julgar a ação procedente e, em conseqüência, determinar que o Estado de Santa Catarina, em face do que dispõe o Art.225, § 1º, VII, da Constituição, adote as providências necessárias a que não se repitam essas práticas consideradas atentatórias à regra constitucional aludida” (STF – 2º t. – re 153, 531 – 8 – SC – Rel. Min. Marco Aurélio – RDAmb 18/315 – DJU 13.3.1998).

Suspensão de corrida de jumentos - Em Fortaleza/CE, o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, decidindo sobre Agravo de Instrumento interposto pelo Ministério Público da Comarca de Camocim/CE, julgou procedente o recurso ordenando a suspensão de uma corrida de jumentos que iria ocorrer, programada para o Festival Jegue Festa I, fundamentando a decisão no fato de que tais corridas provocam maus tratos aos animais. “Agravo de Instrumento com pedido de efeito suspensivo nº 2004.0008.1944-5/0, Agravante: Ministério Público do Estado do Ceará, Agravado: Marinha Holding Ltda., Juízo; 2ª Vara da Comarca de Camocim” – “Por entender presentes na espécie solvenda, os pressupostos indissociáveis do fumus boni júris e do periculum in mora , defiro o efeito ativo reclamado, CPC, 527, III, para o fim de determinar a imediata suspensão da participação dos animais precitados no evento recitado do que deverá ser notificado com a urgência que o caso requer o douto Juiz da causa para as providências de estilo, inclusive para, no decênio legal, prestar as devidas informações. Des.João de Deus Barros Bringel – Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará. 20.07.2004.

Contravenção penal – Briga de pássaros – A exploração de jogo de azar, sob forma de “briga de pássaros”, constitui – também – crueldade contra animais (RT 500/339)



Brigas de Galo – o lançamento voluntário e consciente de um animal contra o outro constitui, da parte do homem, tratamento indubitavelmente cruel, que incide nas penas previstas no Art. 64 da LCP (RT 264/498);



Briga de galos - A briga de galos, embora para os galistas constitua um esporte, é evidentemente um ato de crueldade para com os animais, isto porque os galos, quando levados à rinha, enfrentam-se em duelo mortal, sangrando-se, cegando-se e brigando até que um deles caia prostrado ao chão e mortalmente ferido (RT 302/448);



Briga de galos - Para a configuração da contravenção do artigo 64 da LCP, na modalidade denominada briga de galos, pouco importa que os réus estivessem ou não fazendo apostas” (RT 451/;409).



Briga de galo - A briga de galos não é simples desporto, mas contravenção penal, não só pela crueldade que inflige aos animais como também por propiciar jogo de azar (RT 184/67).



Maus tratos a animais em circo – Ação cautelar de busca e apreensão – Requerimento da Promotoria da Comarca de Sumaré em favor de um hipopótamo e um chipanzé vítimas de maus tratos – Instalações inadequadas para os animais – bichos para o Parque Ecológico Municipal de Americana (proc. nº 1445/03, 3ª Vara Cível de Sumaré);



TV Animal – Ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal contra rede de emissora de televisão que exibia imagens de maus tratos a animais, dentre as quais luta livre entre caranguejos – A requerida, abstendo-se de fazê-lo passou a veicular campanhas ecológicas – Acordo homologado – (proc. nº 89/00377540/7, da 19ª Vara da Justiça Federal;



Fechamento de zoológico – Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual em favor de 30 animais da fauna silvestre aprisionado em condições cruéis – Estabelecimento particular montado em desconformidade à lei – Ofensa ao Decreto nº 24.645/34 – pedido de fechamento do zôo com a reintegração dos bichos, na medida do possível, ao seu habitát natural (proc. nº 218/88, Comarca de Aparecida);



Crueldade em Rodeio – Ação civil pública ajuizada pela Promotoria de Cravinhos a fim de impedir rodeio – Festa regional que envolve maus tratos e crueldade contra muares – Utilização de instrumentos e métodos que causam sofrimento aos animais – Concedida liminar para que os responsáveis pelo evento abstenham-se de usar esporas de formato pontiagudo ou cortantes e de sinos no pescoço dos animais, porque se constituem em dolorosos meios de instigação à ira do bicho (proc. nº 937/95, Comarca de Cravinhos);



Circo de Rodeios -, Touradas – cassação de Alvará de licença. Pretendida violação de direito líquido e certo. Ilícito Penal. Segurança denegada. Uma vez que a autoridade pública informa que a atividade exercida pelo impetrante, em seu chamado Circo de rodeios, incide na norma punitiva do Art. 64 da Lei das Contravenções Penais, a segurança deve ser denegada. Ninguém pode pretender direito líquido e certo à prática de um ilícito penal – Mandado de Segurança nº 74.276, RT 247/105 – Tribunal de Justiça de São Paulo – 4ª CC.



Crueldade contra animais – Voluntariedade do ato – Desnecessidade de dolo específico – Para ocorrer a figura contravencional do Art. 64, não há necessidade do dolo especifico de maltratar animal por malignidade ou para deleitar-se dos seus sofrimentos. Basta a voluntariedade do ato, que encerra um tratamento cruel, para se configurar a contravenção (TACRIM –SP – AC – Rel. Minhoto Júnior – TR 2221363);



Crueldade contra animal – Para configurar-se a contravenção do Art. 64 da competente lei (crueldade contra animal), basta a voluntariedade da ação que encerre tratamento cruel, dispensando-se qualquer intuito específico do agente de maltratar o irracional (JURICRIM – Franceschini, nº 1.957 – A).



Crueldade contra animais – Ofensa ao Estado – Ministério Público – No Art. 64 da LCP o ofendido é o Estado e não o proprietário do animal, pois o que a lei tutela, no dispositivo em apreço, é o sentimento ético-social de humanidade para com os animais. Desde que prove o pretenso ofendido o seu interesse direto na punição do contraventor, nada impede que assumia a posição de assistente do Ministério Público, cuja participação no processo contravencional; é indeclinável, como fiscal da lei que é (TACRIM-SP – ACRT 1511449).


Crueldade contra animal – ofensa ao Estado – no Art. 64 da LCP o ofendido é o Estado e não o proprietário do animal ofendido, pois o que a lei tutela no dispositivo em apreço, é o sentimento ético-social de humanidade para com os animais (TACRIM-SP- Rel. Adriano Marrey – RT 211/390).

Briga de galo – A denominada “briga de galo” constitui a contravenção penal prevista no Art. 64. Da proibição da mesma com ameaça de prisão de seus promoventes não resulta pois constrangimento ilegal (RT 264/512);

Briga de galos – Discutiu-se muito se briga de galos constitui ou não contravenção. Entretanto o E. Tribunal de Alçada em reiterados julgados firmou: “O lançamento voluntário e consciente de um animal contra o outro, constitui da parte do homem, tratamento indubitavelmente cruel, que incide nas penas previstas no Art. 64 da LCP (Rec – Rel. Coelho de Paula – RT 264/498);

Briga de galos – O Art. 64 da LCP proíbe a “briga de galos” por constituir tal fato crueldade conta animais, sendo de notar que os preceitos contidos no mesmo compreendem em síntese, na quase totalidade aquelas modalidades de crueldade contra os animais constantes no Art. 3º do Decreto 24.645, de 10.07.1934, lei que casuisticamente tratou matéria primeiramente entre nós (TACRIM – SP – rel. Hoeppner Dutra – RT 272/464);

Ementa Oficial – Juntar numa pequena arena dois galos combatentes, que se golpeiam com bicos e esporas, ferindo-se até a mutilação ou morte. Para satisfação de seus criadores e de outros aficcionados do doloroso espetáculo, fere o sentimento ético social de humanidade e tipifica a contravenção de crueldade contra animais. O anunciado propósito da autoridade policial de reprimir essa prática, no estrito cumprimento de seu dever, não constitui ameaça de constrangimento ilegal à liberdade de locomoção (TACRIM – SP – RHC – Rel. Dante Bussana – RT 616/329 e JUTACRIM 69/126. VER também: RT 268/818, 410/275, JUTACRIM 12/243, 21/127.

RT 184/67 – A briga de galos não é simples desporto, mas contravenção penal, no só pela crueldade que inflige aos animais como também por propiciar jogo de azar.’’

Ante o exposto, vem a Uipa, requerer se digne V. S.ª de adotar todas as providências necessárias para que a lei seja cumprida, solicitando a tutela jurisdicional do Estado através da medida judicial cabível (Ação Civil Pública com pedido de liminar inaudita alters parts), a fim de que acabar de vez com essa prática criminosa que tem lugar no município cearense de Flecheiras, ao mesmo tempo em que sejam adotadas as providências no sentido de que todos os envolvidos sejam punidos, na medida da sua culpabilidade.

Espera deferimento

Fortaleza, 19 de agosto de 2009
Geuza Leitão Barros
Presidente da Uipa

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

PNEUMOLOGISTAS ABREM SUAS AGENDAS PARA ATENDIMENTO E ORIENTAÇÃO À POPULAÇÃO

A doença respiratória tem modificado a rotina dos especialistas que não poupam esforços para atender à grande demanda que vem se formando dia após dia


Pneumologistas de todo o país vêm se dedicando em tempo integral ao atendimento e orientação a pacientes e imprensa sobre a nova gripe, afirma a presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), dra. Jussara Fiterman.

"Especialmente nas regiões mais afetadas pela Gripe A, em estados do Sul e Sudeste, estamos lutando para vencer a grande demanda e tirar estas pessoas das emergências dos hospitais".

Profissionais especializados em doenças do trato respiratório, como é o caso da Gripe A, os pneumologistas também têm se reunido para debater os protocolos utilizados atualmente pelo governo para o atendimento das possíveis vítimas da doença.

"Há várias discussões sobre a Gripe A, especialmente por ser a primeira vez que enfrentamos esta situação. Sabíamos que o surgimento do vírus da influenza era iminente, mas, sendo esta uma mutação inédita, não havia como prever quais seriam suas características", afirma o dr. Paulo Teixeira, coordenador da Comissão de Infecções Respiratórias da SBPT.

A volta do vírus

O especialista explica que o vírus Influenza se recombina a cada cerca de 40 anos, fazendo uma nova cepa e tornando-nos imunologicamente vulneráveis.

"Temíamos que aquele Influenza aviária, que teve seu pico em 2003, na Ásia, especialmente em países como Índia, Tailândia e Vietnã, seria esse retorno, mas felizmente não foi. Aquele vírus era muito agressivo, determinando uma mortalidade muito mais alta do que a da Gripe A, mas não teve sustentabilidade, ou seja, não ocorreu transmissão entre humanos, somente a partir das aves infectadas."

Mas eis que chegou o H1N1, uma recombinação dos vírus humano, aviário e suíno, especulam os especialistas. "Esta nova cepa nos pegou despreparados imunologicamente. Mesmo que hoje tenhamos mais informação e equipamentos muito mais modernos para diagnóstico, a mutação faz a situação totalmente inesperada", afirma dr. Paulo.

Gripe A e os jovens

O que tem preocupado os profissionais da saúde especialmente nas regiões Sul e Sudeste é que este vírus mostra um comportamento de extrema agressividade em alguns jovens.

"No universo de pessoas que devem estar infectadas pelo H1N1 atualmente, estas mortes são pequenas se considerarmos que é uma situação de epidemia. O que nos preocupa é que nos jovens sem fatores de risco não há qualquer indício que possa indicar quem vai superar bem, como acontece na maioria das gripes, ou quem vai, a partir de um quadro de gripe pelo H1N1, evoluir para uma pneumonia viral, para insuficiência respiratória, ir para a UTI e acabar morrendo."

O Ministério da Saúde nos últimos dias divulgou a flexibilização da liberação do oseltamivir, medicamento indicado para reduzir o tempo de atividade do vírus. A Sociedade Brasileira de Pneumologia compartilha da posição do Ministério da Saúde na normatização do atendimento dos casos.

"É preciso garantir medicação e atendimento aos pacientes, coibindo a banalização da oferta do oseltamivir e evitando que os pacientes infectados fiquem sem o remédio", afirma dra. Jussara.

Um novo fator de risco

Além dos fatores já citados anteriormente, um novo agravante vem sendo confirmado não apenas no Brasil, mas também no restante do mundo: a obesidade grave.

Os obesos graves são mais comprometidos e os profissionais já podem considerar isto como um fator de risco, assim como os demais.

Há luz no fim do túnel?

"Não podemos afirmar que teremos uma redução de casos com a flexibilização da liberação do oseltamivir. Mas por enquanto usamos o mesmo critério de raciocínio para as demais infecções: quanto mais precocemente a medicação for iniciada, a evolução e as complicações provavelmente serão menores", afirma dr. Paulo

O pneumologista também prevê uma redução dos casos, especialmente no Rio Grande do Sul, um dos estados mais atingidos pela Gripe A, à medida que a temperatura aumente.

"Estamos próximos do pico máximo dos casos, que acreditamos se dê em uma a duas semanas, mas certeza não podemos ter, haja vista que nos EUA os casos vêm se mantendo mesmo com a chegada do verão. No entanto, a redução dos casos de infecções respiratórias e descompensação de doenças respiratórias, em geral, costuma acontecer com o final do inverno, o que já desafogaria o sistema de atendimento de saúde."

COGUMELOS COMESTÍVEIS SERÃO AS ATRAÇÕES DA EMBRAPA EM FEIRA BOTÂNICA NESTE FINAL DE SEMANA

Técnica que torna o cultivo mais barato será tema de curso em outubro deste ano.

Brasília, 28 de agosto de 2009 - Deliciosos e nutritivos, os cogumelos comestíveis serão os destaques da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 42 unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, na 128ª Feira Botânica do Shopping CasaPark, de hoje a domingo em Brasília, DF. A novidade é a técnica que a Embrapa adaptou da China para o Brasil capaz de baratear o cultivo desses fungos que, por seu alto preço no mercado, infelizmente, ainda ficam bem longe da maioria do povo brasileiro.A técnica, denominada Jun-Cao, torna o cultivo de cogumelos mais econômico e ambientalmente mais saudável, pois utiliza substrato de capim, junto com outros nutrientes, ao invés de troncos de madeira e serragem, como nos meios de cultivo tradicionais. Para repassá-la ao setor produtivo, a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Arailde Urben, promove dois cursos por ano, treinando cerca de 100 produtores de todo o Brasil.Este ano, já foi realizado um curso em maio e o próximo vai acontecer no período de 20 a 24 de outubro na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em Brasília, DF (mais informações podem ser obtidas no site: http://www.cenargen.embrapa.br/cursos.html).As pesquisas coordenadas pela pesquisadora Arailde Urben desde 1996 levaram à formação do Banco de Cogumelos para Uso Humano, que hoje conta com mais de 300 espécies desses fungos.Os cogumelos são alimentos muito nutritivos - com quantidade de proteínas quase equivalente a da carne e acima de alguns vegetais e frutas, ricos em vitaminas e carboidratos, e com baixo teor de gordura. Além disso, suas propriedades medicinais vêm sendo investigadas desde a década de 70, especialmente no Japão, China, França e Estados Unidos, e hoje já se sabe que podem ser importantes aliados do sistema imunológico.Infelizmente, pelo seu alto preço no mercado, o consumo desses produtos no país - cerca de 30 gramas por habitante - ainda é muito baixo quando comparado com outros países, como por exemplo, a França onde o consumo chega a 2 kg por habitante, a Itália, onde se consome cerca de 1,3 kg, e a Alemanha, na qual o consumo alcança 4 kg. "É importante que a população conheça os benefícios desses alimentos para a nutrição e a saúde e passem a incluí-los em sua dieta alimentar", afirma. Para isso, ela promove, no mínimo, dois cursos por ano na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia para produtores de todo o Brasil.

Produtores treinados na Embrapa vão mostrar os seus produtos na feira botânica

Muitos dos ex-alunos da pesquisadora Arailde Urben já se tornaram produtores de cogumelos em várias regiões brasileiras e dois deles, do Distrito Federal, vão expor os seus produtos junto com a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia na 128ª Feira Botânica do CasaPark. Gilsérgio dos Santos Silva, produtor de champignon de Paris e cogumelo do sol, fez o curso em 2003 e 2006. Já Marcelo Canfran Simões fez o curso em 2004 e hoje comanda a empresa "Cogumelos Amazônia" para comercialização de cogumelo do sol.Os dois produtores afirmam que o consumo desses produtos em Brasília tem crescido muito nos últimos anos e que a produção não atende à demanda local. Por isso, a maioria dos cogumelos comercializados na cidade vem de São Paulo, que é o estado que mais produz no Brasil hoje. Segundo eles, é muito importante aumentar a produção desses fungos no Distrito Federal para que fiquem mais baratos para o consumidor.Produtores atuais e futuros animem-se: A Embrapa já abriu vagas para o próximo curso de cultivo de cogumelosE para quem está pensando em se tornar um produtor de cogumelos ou já é e quer reciclar os seus conhecimentos, a Embrapa tem uma boa notícia: o próximo curso de cultivo de cogumelos comestíveis a partir da técnica Jun-Cao, sob a coordenação da pesquisadora Arailde Urben, acontece no período de 20 a 24 de outubro, em Brasília.

Mais informações sobre o curso podem ser obtidas no site: http://www.cenargen.embrapa.br/cursos.html

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

CIGARRO AUMENTA RISCO DE PROBLEMAS NA VISÃO

Três fumantes para cada não fumante vão desenvolver catarata. Degeneração macular e evento tromboembolítico na retina também podem ser provocados pelo hábito de fumar regularmente
Alerta está no Healthy Sight Institute, iniciativa da Transitions para levar informações ao público sobre como manter uma visão saudável.

O cigarro também é um fator de risco para a saúde visual. Fumar é um hábito que aumenta, por exemplo, as chances de um indivíduo desenvolver catarata no futuro. Três fumantes para cada pessoa não fumante vão desenvolver o problema. Além disso, fumantes têm risco aumentado de adquirir mais cedo uma degeneração macular, problema relacionado normalmente com a idade e antecipado no caso de pessoas que fumam.

O alerta faz parte de um levantamento do Healthy Sight Institute, iniciativa da Transitions Optical do Brasil, empresa especializada em lentes fotossensíveis, para levar informações ao público sobre como manter uma visão saudável. De acordo com o documento, baseado em diversos estudos realizados em todo o mundo sobre o tema e recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), fumar também causa danos oculares por conta de uma combinação de efeitos oxidativos, neurovascularização, trombose e inflamações.

"Muitas pessoas desconhecem os riscos que o cigarro também pode representar para a saúde visual", explica a oftalmologista Luciene Fernandes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). "E o que é pior, como a saúde visual é quase sempre deixada em segundo plano, pouca gente relacionada seus problemas visuais com a possibilidade de serem agravados pelo cigarro", completa.

Fumantes passivos

Os fumantes passivos também não deixam de sofrer com os riscos que o cigarro representa para a saúde visual. Recentes pesquisas já sugerem que o fumo passivo também contribui para algumas doenças oculares, caso da catarata e degeneração macular relacionada à idade (DMRI). "Novamente, os riscos do cigarro não se resumem apenas ao fumante", completa Luciene.
Healthy Sight Institute: http://www.healthysightinstitute.com/

PARCERIA ENTRE PETMAIS E CÃO CIDADÃO FACILITA EDUCAÇÃO ANIMAL

Adquirir um cãozinho exige diversos cuidados necessários que muitas vezes são esquecidas. Um filhote, por exemplo, necessita de um período de adaptação, que quando seguido e cumprindo algumas regras, torna mais simples a inserção do novo membro a casa, ou depois de adulto, o pet ainda pode ter problemas alimentares ou psicológicos, como medos e fobias.

A Petmais, empresa especializada em criar os melhores produtos para pets, pensa sempre no bem estar animal e acaba de fazer uma parceria com o Cão Cidadão e juntas oferecerão palestras para os donos que buscam sempre o melhor para seus cães.

O Cão Cidadão foi criado pelo zootecnista e comportamentalista Alexandre Rossi, é uma empresa que promove cursos e palestras para interessados em educar seus bichinhos, além de apoiar Projetos Sociais preocupados com o Bem Estar animal.

As Palestras acontecem todos os sábados, no Pet Center Marginal. São abordados temas com dicas de comportamento como: "Adaptando filhotes em casa", "Problemas alimentares" e "Medos e Fobias".
Os interessados em participar não tem nenhum gasto, pois as palestras são gratuitas, e a PetMais ainda oferecer diversos brindes aos donos presentes, buscando sempre a valorização animal.

Para mais informações, visite o site www.petmais.net ou www.caocidadao.com.br
Palestras
Dicas de Comportamento: Adaptando filhotes em casaData: 22.08.2009
Dicas de Comportamento: Problemas AlimentaresData: 12.09.2009
Dicas de Comportamento: Medos e FobiasData: 19.09.2009
Dicas de Comportamento: Adaptando Filhotes em CasaData: 26.09.2009

As palestras acontecerão aos sábados, sempre das 17 às 18 horas
Local: Pet Center Marginal Avenida Presidente Castelo Branco, 1795Pari (Marginal Tietê com a Ponte da Vila Guilherme)
Mais informações através do site www.petmais.net

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Retrocesso na proteção animal poderá ser validada pelo Congresso



Está por acontecer o maior retrocesso na história da proteção animal no Brasil

Tramita no Congresso Nacional o Projeto de Lei (PL) nº 4.548 de 1998, de autoria do deputado José Thomaz Nono, que pretende modificar o art. 32 da Lei nº 9.605/98 - Lei de Crimes Ambientais, o qual diz:

“Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena – detenção de três meses a um ano, e multa.
§ 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º. A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.”

O PL em questão tem como objetivo retirar a expressão “domésticos ou domesticados”, sob o argumento de que a realização de rodeios e vaquejadas tem sido prejudicada. Tal proposição está apensada ao Projeto de Lei nº. 3.981/2000 e foi relatada favoravelmente pelo Deputado Régis de Oliveira.

Se este projeto for aprovado, será consumado o maior retrocesso da história da proteção animal em nosso país. Por exemplo, o combate às condenáveis rinhas de galo e cães, além da cruel Farra do Boi, entre outras barbaridades.



A Constituição e o bem-estar animal

Nossos animais, independentemente da espécie, são protegidos pela Constituição Federal, que em seu artigo 225, inciso VII, diz:

“Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
§ 1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:
VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.

domingo, 23 de agosto de 2009

MEDICINA PREVENTIVA É O SEGREDO PARA RETARDAR O ENVELHECIMENTO

Já foi o tempo que consultar um geriatra era somente para os idosos. A partir dos 30 anos já é possível fazer um acompanhamento com exames para identificar se a pessoa está carente de vitaminas ou se está acelerando o envelhecimento.

A má qualidade de vida (estresse, sedentarismo, alimentação errada, poluição) leva o jovem a adquirir doenças muito precocemente, como obesidade, colesterol acima do normal, diabetes, pressão alta, cardiopatias, entre tantas outras.
A geriatria preventiva trata o paciente como um todo. Checa sua saúde física e mental, verifica a condição da pele, os hábitos alimentares, indica formas de relaxamento, exercícios, trata o paciente com medicina complementar, como ortomolecular e acupuntura, por exemplo, e adota a medicina estética.

Manter-se jovem, tanto fisicamente quanto mentalmente, é sem dúvida um dos principais motivadores de cirurgias plásticas e dietas milagrosas, mas segundo a médica endocrinologista e geriatra Dra. Maria do Carmo Sobral Lins "Uma aparência jovial é conquistada com muito esforço, exercícios diários e alimentação saudável. Quem faz uma alimentação variada e equilibrada está no caminho certo. É bom lembrar que as substâncias benéficas para o organismo são encontradas em supermercados e feiras livres e não na farmácia", explica.

O tratamento preventivo prescreve vitaminas e mudanças nos hábitos alimentares desenvolvendo cardápios mais ricos com a finalidade de suprir as necessidades orgânicas buscando proteger assim o coração, o cérebro, a memória e os ossos, entre outros. "Problemas relacionados à memória podem ser evitados quando a dieta é rica em ácidos graxos Omega 3 (peixes, com o salmão) e ferro. Já os ricos em ácido fólico (feijão, espinafre, brócolis) ajudam a prevenir doenças cardíacas", comenta a médica.

Neste tipo de acompanhamento, a preocupação com o aspecto da pele e seu envelhecimento também é muito frequente. "O tratamento auxilia na regeneração dos tecidos, indicando nutrientes que atuam como antioxidantes (betacaroteno, selênico, vitamina E e C) que protegem as células, mas é preciso cuidados básicos como usar filtro solar diariamente, sabonetes e cremes específicos para cada tipo de pele", esclarece.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

CINCO DICAS DE NUTRIÇÃO

1)DIETA NÃO SIGNIFICA PASSAR FOME Vamos esclarecer. As dietas da moda, em geral, não funcionam. São entediantes e perigosíssimas para o corpo. É claro que elas podem ajudar a perder peso, mas ao longo do tempo, você não consegue mais mantê-las e volta a engordar.
Todo ser humano precisa de carboidratos complexos para raciocinar, agir e ter energia. É possível encontrá-los no arroz integral, painço, quinoa, centeio,cevada e trigo sarraceno.Estes alimentos fornecem boa energia e agem no sistema nervoso. Eles ajudam a combater tontura, cefaléia, cólicas estomacais, mau humor e depressão. Reitero, dieta não é passar fome, ao contrário. Adote um novo estilo de vida e coma alimentos saudáveis em abundância.

2) GORDURAS SATURADAS Dieta rica em gordura saturada e com elevado teor de sal pode agravar problemas coronários.

3) CÂNCER Alguns cânceres podem ser evitados ou amenizados por meio de uma boa dieta. Alimentos ricos em fibras, cereais integrais e com poucas gorduras, ajudam a combater cânceres de cólon, estômago e mama.

4) EXCESSOS Alto teor de gordura, açúcar e sal podem acarretar excesso de peso e levar à obesidade. Pessoas obesas são mais propensas a terem problemas cardíacos, diabetes, câncer e esterilidade. A obesidade também está associada à estafa, baixa auto-estima, mau humor, depressão e baixo desempenho mental e físico.

5)CONSERVANTES E AÇUCAR REFINADO A dieta com alto teor de aditivos, conservantes e açúcar refinado pode provocar perda de concentração, hiperatividade e agressão. Estes alimentos têm ausência de cromo, elemento químico removido na refinação. O cromo é necessário para ao controle dos níveis de açúcar no sangue que, quando descontrolados, podem provocar problemas de comportamento.

Fonte: Renata Fernandes Nutricionista Chefe do Residencial Santa Catarina, o primeiro e considerado o melhor flat residencial brasileiro de luxo, especializado no atendimento à terceira idade.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Estresse faz o cabelo cair

Estress e perda de cabelo: tudo a ver!
ESTRESS: DOENÇA DO MUNDO MODERNO QUE É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DA QUEDA DE CABELO

Desde o século XVII o estress já era conhecido como "adversidade" ou "aflição". No final do século seguinte, a palavra derivada do latim ganhou novos significados, como "força", "pressão" ou "esforço". Mas foi apenas no século XX que estudiosos em ciências biológicas e sociais buscaram seus efeitos na saúde física e mental das pessoas. Para se ter uma idéia, "o estresse pode provocar além de uma queda capilar transitória, um eflúvio, cai e volta a crescer, mas também para quem tem tendência, pode agravar a calvície, e neste caso, tornar-se é irreversível, a menos que seja feita uma restauração (transplante) capilar", comenta o Dr. Arthur Tykocinski, dermatologista com atuação exclusiva em clínica e restauração capilar.

O assunto já tem destaque mundial, tanto que anualmente é realizado o Congresso de Stress da Internacional Stress Management Association (ISMA) - Brasil, que no mês passado aconteceu sua sétima edição em Porto Alegre. "Para quem tem tendência à calvície, o estress acelera o processo de queda de cabelo. Esse pode ser medicado através de tratamento clínico especializado", explica o dermatologista.

O estress é uma resposta do organismo às circunstâncias repentinas e súbitas. Para se adaptar às novas situações o corpo tem reações que ativam a produção de hormônios, entre eles a adrenalina. O chamado "estado de alerta" é uma das principais sensações. Como efeito dominó, de uma hora para outra os hormônios se espalham por todas as células do corpo, causando aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos, as extremidades (mãos e pés) tendem a ficar suados e frios, a pressão arterial tendem a subir, o nível de tensão muscular pode aumentar etc. E tudo só volta ao equilíbrio quando o indivíduo se acalma.

O ideal é sempre prevenir e tentar o autocontrole. "Além de uma dieta saudável em proteína, zinco, silício, selênio e ferro, é melhor fugir do estresse. Mais do que isso, é importante tratar dos distúrbios do couro cabeludo, como oleosidade excessiva, caspa e dermatite seborréica. Fazer exames rotineiros também é importante. E sempre observar se há queda de cabelo para poder tratá-la o quanto antes", acredita Tykocinski.

Mais sobre
Dr. Arthur Tykocinski, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, tem a prática voltada ao estudo e tratamento capilar. Membro da comissão organizadora da XV Congresso Mundial de Transplante de Cabelo, organizado pela ISHRS - Las Vegas, EUA - 2007.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

VIVER BEM COM DIABETES: DESAFIO POSSÍVEL

Com a evolução da medicina, muitas doenças crônicas que antes limitavam a qualidade de vida passaram a ser encaradas de uma nova forma. Com a adequada adesão ao tratamento e determinação para adotar um estilo de vida saudável, viver bem com Diabetes já é realidade. Em tempo: o Diabetes Mellitus acomete 7,6% dos brasileiros, sendo que aproximadamente metade desconhece ter a doença.

O jogador Washington Stecanella é um exemplo. Ele venceu as limitações de uma cardiopatia e do diabetes, tornando-se o artilheiro do Campeonato Brasileiro de Futebol 2004. Por conta de sua história, ganhou o apelido de Coração Valente. "Vemos que, quando o paciente encara a situação de frente e segue as orientações médicas, pode desfrutar de uma vida prazerosa", destaca a psicóloga Cinthia Prata, do Programa Gestor da Amil, que disponibiliza uma equipe multidisciplinar para acompanhamento personalizado aos clientes que demandam cuidados especiais.

Uma pessoa que recebe a confirmação de um diagnóstico de diabetes precisa adotar alguns hábitos. A mudança na alimentação, a prática de atividades físicas e o controle da glicemia são as principais medidas. Cabe destacar, que das três, duas devem ser adotadas por todos que desejam alcançar a longevidade, com qualidade: os cuidados nutricionais e o abandono do sedentarismo.

Alimentação - A dieta adequada ao indivíduo com diabetes compreende a ingestão de pouca gordura saturada, sal e açúcar; poucas calorias; muitas frutas, legumes e verduras; e alimentos integrais. Das orientações gerais, destacam-se: seguir corretamente o número de refeições, as quantidades e os horários prescritos; evitar alimentos com açúcar refinado (bolos, biscoitos recheados, chocolates, balas, mel etc) e gordurosos (bacon, toucinho, banha, pele, frituras, carnes gordurosas etc); comer carnes magras, assadas, cozidas ou bifes grelhados; evitar o consumo de mortadela, salame, salsicha, presunto e alimentos em conserva. Para resultados adequados, é recomedado o acompanhamento de um nutricionista.

Exercícios - Para a pessoa com diabetes, a atividade física traz diversos benefícios imediatos e tardios. Entre as vantagens que ocorrem logo no primeiro dia, estão o aumento da ação da insulina e a diminuição da glico-se sangüínea. Já os principais benefícios tardios são: o incremento das funções cardio-respiratórias, da força e da resistência.

Controle da Glicemia - Quanto à monitorização dos níveis glicêmicos, a Sociedade Brasileira de Diabetes destaca que tal prática contribui para uma menor necessidade de medicamentos. "É necessário manter os níveis de glicose entre 80 e 110 mg/dl em jejum e até 140 mg/dl após as refeições. Por mais desagradável que possa parecer furar o dedo algumas vezes ao dia, trata-se de um instrumento insubstituível para a manutenção da saúde", explica o endocrinologista André Mascarenhas.

O médico não é econômico nas dicas. "Informe-se sobre sua doença, leia o máximo possível de artigos e reportagens, ouça atentamente os conselhos dos profissionais durante as consultas. Essa área, como outros ramos da medicina, é muito dinâmica, apresenta uma constante evolução", compartilha Dr. André. "Vale lembrar que viver é um constante aprendizado e que, cada indivíduo deve encarar suas limitações como um desafio, sejam elas decorrentes do diabetes ou de qualquer outra situação", conclui.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Precavendo-se contra a Gripe Suína

Reproduzo abaixo excelente texto do Restaurante Metamorfose sobre como prevenir da gripe suina.
O Texto também está disponível no link abaixo:

Li recentemente uma entrevista com Alfred W. Crosby, autor de um clássico sobre a Gripe Espanhola de 1918 e um dos fundadores da história ecológica. No desenrolar da entrevista, Crosby afirma ver semelhanças entre a pior epidemia da história e a gripe suína: ambas se originaram em porcos e ambas são causadas pelo mesmo vírus influenza, o tipo A (H1N1). A primeira onda de Gripe Espanhola foi branda, como parece ser a onda de gripe suína. A segunda, porém, de agosto a novembro de 1918, foi fatal. O problema é que, segundo Crosby, haverá uma segunda onda de gripe suína, que começará em agosto e se estenderá até novembro. Ninguém sabe se continuará branda ou se voltará mais agressiva. A vacina só estará pronta em finais de setembro. O jeito é contar, não com a própria sorte, mas com a própria imunidade.
Preocupado, revirei meus arquivos e acabei encontrando um artigo de Herman Aihara com sugestões práticas para fortalecer a imunidade. Achei que, nesses tempos sombrios, valeria a pena traduzi-lo e divulgá-lo. A primeira parte, mais teórica, não deixa de ser importante, pois o entendimento, fortalecendo o espírito, também fortalece o corpo.
Os Dois Conceitos de Imunidade
Se buscares informação sobre o sistema imunológico, certamente depararás termos como “células T” e “anticorpos”. Do ponto de vista macrobiótico, entretanto, a imunidade original, autêntica, ordinária, nada tem a ver com aquelas estruturas. Já percebes, então, que o conceito de imunidade não é algo pacífico. Na verdade, há o conceito de imunidade específica, fruto de um desenvolvimento mais tardio da teoria dos mecanismos de defesa, levado a cabo pela medicina ocidental; e há o conceito de imunidade não específica, valorizado pela macrobiótica por dar conta de uma das mais belas expressões da sabedoria inconsciente da natureza.
A imunidade não específica faz parte da homeostase (tendência à estabilidade do meio interno do organismo). Não deve ser ela, portanto, confundida com os mecanismos de defesa da imunidade específica, os quais, fenômenos de ação retardada, são acionados apenas num segundo momento, quando os expedientes mais imediatos se mostraram incompetentes.
Como a imunidade não específica funciona? Essencialmente por meio da desidratação de micro-organismos. Segundo Brock, Smith e Madigan, na obra Biology of Microorganism, “Se o meio é mais concentrado do que a célula, a água flui desta para aquele, resultando na desidratação da célula e no colapso do protoplasma, processo conhecido como plasmólise. É por isso que os alimentos são protegidos da contaminação bacteriana quando conservados em salmoura.” A plasmólise nada mais é do que o resultado da imunidade não específica. Manter os fluidos corporais (plasma, linfa, líquido intersticial e outros) mais concentrados do que as bactérias e microorganismos é a própria imunidade não específica agindo.
Lemos em Biology of Microorganism que a concentração de solutos de uma bactéria é da ordem de 10 milimols. Contudo, segundo a obra Basic Human Physiology de Guyton, a concentração de solutos do plasma e do líquido intersticial é de aproximadamente 300 milimols. Ou seja, se uma bactéria se introduzir no plasma ou no líquido intersticial, sofrerá desidratação e morrerá em virtude da diferença gritante entre sua própria concentração de solutos e a dos fluidos corporais (10/300).
Entretanto, se alguém bebe excessiva quantidade de líquidos (água, café, chá, refrigerantes, cerveja, vinho), se alguém ingere muita fruta ou faz uso de uma dieta sem sal, os fluidos corporais tornam-se menos concentrados. Se a concentração dos fluidos se apresenta apenas ligeiramente maior que a das bactérias, estas podem perder líquido, mas não o suficiente para morrer. O resultado são bactérias com concentrações mais altas, que se multiplicarão e darão lugar a uma nova linhagem de micróbios. Mais resistentes, essa nova estirpe não se intimidará com os antibióticos convencionais da medicina moderna.
Hoje em dia, a medicina moderna está ocupada em descobrir novas drogas para combater as diversas doenças infecciosas que ameaçam a humanidade. A meu ver, porém, é a imunidade não específica que pode prevenir aquelas infecções. E fortalecer a imunidade não específica, por meios simples e universais, sem cair na ilusão de que drogas podem fazê-lo, é o objetivo da macrobiótica.
Fortalecendo a Imunidade Não Específica
Para viver sem escravizar-se aos antibióticos, é preciso fortalecer a imunidade não específica. O que segue são conselhos para atingir tal objetivo:
1) Coma uma boa quantidade de carboidratos complexos (50% ou 60% do total do alimento ingerido). As principais fontes de carboidratos complexos são os cereais integrais. Sopa de missô também estimula a imunidade.
2) Coma alimentos integrais e naturais. Grãos integrais, vegetais e algas marinhas fornecem a quantidade suficiente de vitaminas necessárias à digestão e assimilação de proteínas, carboidratos e gorduras. Além disso, os alimentos integrais contêm minerais que ajudam a manter em dia nossas condições físicas e psicológicas.
3) Evite alimentos aos quais foram adicionados produtos químicos, aditivos artificiais e conservantes.
4) Não coma tofu ou feijões todos os dias, pois são demasiado yin.
5) Solanáceas tais como tomate, berinjela, batata inglesa e pimentão devem ser evitadas porque enfraquecem a imunidade.
6) É importante ingerir regularmente, mas com parcimônia, os seguintes condimentos macrobióticos: gersal, umeboshi, picles com farelo de arroz, molho e pasta de soja. Tais condimentos contêm boa quantidade de sal na forma de íons sódio, os quais fortalecem as células brancas, as células da linfa e, portanto, a imunidade.
Entretanto, se forem usados em excesso, provocarão forte atração por líquidos, frutas, doces, alimentos gordurosos e estimularão a glutonaria. Use-os moderadamente, portanto. Sal marinho, molho e pasta de soja deveriam ser reservados para o preparo do alimento na cozinha e nunca adicionados ao prato já servido à mesa.
Esses condimentos macrobióticos devem ser produzidos com água da fonte ou subterrânea. Não devem conter corantes, aditivos químicos ou glutamato monossódico.
7) Beba só o necessário. Isso concentrará os fluidos corporais, fortalecendo a imunidade.
8) Os vegetais podem ser ingeridos crus ou cozidos. Aqueles que adotaram um regime carnívoro por muito tempo, têm acúmulo de yang e o sangue acidificado. Para eles, a ingestão de vegetais crus é mais indicada.
Prefira vegetais locais e da estação. Vegetais orgânicos são a melhor opção.
9) Use a quantidade adequada de sal. Na minha opinião, sem uma concentração apropriada de sódio nos fluidos corporais não há imunidade. Sódio é o elemento alcalino mais yang; ele fortalece o sistema imunológico e previne infecções como candidíase, herpes, sífilis e Aids.
10) Evite doces e bebidas açucarados, bem como frutas, sorvetes, melado, malte de cereais e mel. Todos eles contêm carboidratos simples e podem promover infecções oportunistas. Não é necessário dizer que álcool e drogas estão proscritos.
11) Evite fontes concentradas de proteínas, tais como carne, ovos, frangos, carne de porco e peixes. Contêm elas não somente muita gordura, mas originam desejos por açúcar, frutas e outros alimentos doces. Se não se consegue evitar esses alimentos de origem animal, deve-se comê-los então moderadamente. Uma boa alternativa são os peixinhos secos chamados “Iriko”; por conterem muito cálcio, não provocam acidez.
Feijões também contêm muita proteína; por conseguinte, é melhor não comê-los regularmente se existe alguma infecção oportunista. Neste caso, recomendo ingerir feijão azuki somente duas a três vezes por mês.
12) “Last but not least”, esforce-se por mastigar bem. Mastigar diligentemente (cem vezes cada bocado) traz vários benefícios: impede o empanzinamento; separa os bons dos maus alimentos, já que os últimos não sabem bem quando zelosamente mastigados; e reduz a ingestão de líquidos, o que é muito importante quando se trata de fortalecer as células brancas e a linfa.
Fortalecendo Psicologicamente a Imunidade
Com o objetivo de fortalecer a imunidade não específica, devemos alcançar a paz psicológica da mente:
1) É preciso entender, em primeiro lugar, que a imunidade é fortalecida quando a vida corre feliz e radiante. Quando não vivemos em estado de júbilo, a digestão torna-se deficiente e podemos carecer de glucose e proteína. Isso pode enfraquecer a imunidade. Se há preocupação em demasia, somos atraídos para o uso de drogas e bebidas alcoólicas, que, por sua vez, trazem mais infelicidade, dificuldade e estresse.
2) Há sentido, esperança e expectativa na vida. Para deleitar-se com cada dia que rompe no horizonte, é preciso estabelecer um significado para a vida.
3) Faça a quantidade adequada de exercícios físicos, como, por exemplo, caminhada e jardinagem.
Fortalecendo os Rins
De acordo com a medicina chinesa, os rins são o sítio privilegiado do poder imunológico. Nossos fluidos corporais só conseguem imobilizar os micro-organismos (a isso chamamos imunidade) porque contêm muito sódio. Se não há sódio, ou mesmo quantidade insuficiente deste mineral, eles não conseguem dar conta dos invasores. O sódio, todos sabemos, vem do sal. Sal é o mesmo que imunidade. A concentração adequada de sódio nos fluidos corporais constitui a chave da imunidade não específica. Para manter a concentração necessária de sódio em nosso organismo, devemos conservar nossos rins saudáveis.
Para fortalecer os rins:
1) Reduza a ingestão de líquidos e beba apenas o suficiente para aplacar a sede. A maioria dos médicos recomenda beber mais de 2 litros de água por dia. Têm eles como parâmetro uma dieta alta em gorduras, e a sua sugestão leva em conta a necessidade de tornar o sangue mais diluído, prevenindo assim problemas do coração.
Ao beber menos, nós fortalecemos os rins. Quanto menos líquido passar através deles, menos cansados ficarão. Se a carga de trabalho dos rins for reduzida, eles tornar-se-ão mais fortes.
2) Não siga uma dieta sem sal. Sal é o elemento-chave fortalecedor de nossa imunidade. Sem sal, nosso sistema torna-se incapaz de controlar os micro-organismos invasores. Nossos rins é que mantêm a quantidade apropriada de sal em nossos fluidos, e pouco sal faz os rins enfraquecerem.
3) Aplique uma compressa de gengibre sobre os rins todo dia por 20 minutos. (Este serviço está sendo oferecido pelo Restaurante Metamorfose. Informe-se).
4) Aplique de 5 a 7 cones de moxa nos pontos Jin Yu (B23) e San Yin Ko (BP6). (A prática da moxabustão também está sendo oferecida pelo Restaurante Metamorfose. Informe-se).
5) Ao raiar do dia, caminhe descalço sobre a grama ainda coberta de orvalho por 20 minutos.
6) Tome um banho de sal, em dias alternados, durante 20 a 30 minutos, se isso não o deixar cansado e não provocar taquicardia. Caso contrário, não o faça.
Banho de Sal:
Adicione cerca de meio quilo de sal marinho a uma tina de madeira com 45 litros de água aquecida porém não quente demais. Esta solução criará uma pressão osmótica maior do que a existente dentro do corpo e extrairá o excesso de líquidos do organismo. Desse modo, o banho de sal tonificará os rins e aumentará a concentração de sódio nos fluidos corporais sem a ingestão de mais sal.
Exercitando-se
Exercícios físicos são importantes para estimular a circulação sanguínea, objetivando a eliminação dos resíduos metabólicos. Exercícios, contudo, aumentam o metabolismo também. Como resultado, o corpo produz mais resíduos metabólicos, o que implica mais trabalho para os rins. O estresse provocado por exercícios pesados pode enfraquecer os rins. E rins fracos resultam em imunidade fraca.
Após exercitar-se, nunca beba suco de frutas ou bebidas açucaradas. Isso agravará imediatamente as infecções. Beba água apenas o suficiente.

sábado, 8 de agosto de 2009

CARDIOLOGISTA E NUTRÓLOGO DO HOSPITAL DO CORAÇÃO ESCLARECE A DIFERENÇA ENTRE O BOM E O MAU COLESTEROL PARA SAÚDE

Dr. Daniel Magnoni dá dicas para o controle do colesterol no Dia Nacional de Combate ao Colesterol, 08 de agosto.

O colesterol é uma substância necessária ao nosso organismo, mas quando suas taxas no sangue se elevam, tornar-se um perigoso fator de risco. Ele é o resultado do metabolismo das gorduras saturadas com algumas subdivisões, sendo duas importantes: HDL, o bom colesterol, e LDL, o mau colesterol. O nível do LDL pode estar elevado por dois fatores principais: o genético e a dieta. O fator genético é o mais importante, porém dietas inadequadas também elevam o coleterol ruim.

"A maior parte do colesterol é fabricada pelo próprio corpo, cerca de 70%, no fígado, enquanto que apenas 30% provém da alimentação. Existem pessoas que já nascem geneticamente destinadas a serem grandes produtoras dessa substância. O colesterol não tem nada a ver com excesso de peso, pois indivíduos magros podem ter níveis de colesterol alto. O colesterol só existe nos alimentos de origem animal entre os mais ricos em gorduras saturadas temos: carnes, frutos do mar, miúdos, gema de ovo, leite e derivados, lingüiça, salsicha, salame e presunto, enquanto os óleos e azeites comuns não têm colesterol", explica o cardiologista e nutrólogo do HCor, Dr. Daniel Magnoni.

Segundo o nutrólogo, o bom colesterol é fundamental para a vida porque faz parte da constituição da membrana celular (capa que reveste as células dos tecidos) e constitui-se em matéria prima para a fabricação da bile, dos hormônios e da vitamina D e seu excesso é que o torna danoso. No sangue ele pode estar livre ou fazendo parte das chamadas lipoproteínas (aglomerado de colesterol, proteínas e gorduras que circulam pelas artérias e veias). O LDL é o que participa da formação das placas de gordura (aterosclerose) que obstruem as artérias.

"Os alimentos funcionais elevam o colesterol bom diminuindo o ruim. Para reduzir o colesterol é preciso comer mais fibras, frutas com casca e verduras, cereais, grãos, aveia, alimentos integrais, soja e maçã. É importante eliminar o consumo de maionese, preparações a base de coco, bolachas recheadas e alimentos cremosos. Outra dica importante é ler com atenção os rótulos dos alimentos e evitar os que contêm gorduras saturados e hidrogenadas e comer alimentos mais grelhados e cozidos", explica o especialista.

A diferença do bom e ruim - Engana-se quem vê o colesterol apenas como vilão. Na verdade, trata-se de uma gordura muito importante para o funcionamento do organismo. Há dois tipos: o HDL, que protege o organismo. Já o LDL, chamado de colesterol ruim, é responsável pela formação de placas que, com o tempo, obstruem as artérias", esclarece Dr. Daniel Magnoni, chefe do setor de nutrologia e nutrição clínica do HCor -Hospital do Coração.


Dicas do cardiologista e nutrólogo do HCor para o controle do colesterol:

1) Alterar todo o consumo de leite e derivados para as versões desnatadas. Na corrida da indústria alimentícia para atender a demanda de alimentos nutritivos, menos calóricos e com sabor agradável, o leite e seus derivados estão bem adiante. Os leites e iogurtes desnatados, os queijos magros e com baixo teor de colesterol, as margarinas sem gordura trans hidrogenadas e com adição de fitosteróis, as maioneses sem colesterol têm chegado ao mercado atendendo essa demanda de sabor e nutrição, com baixas calorias;

2) Aumentar o consumo de fibras solúveis, uma vez que é benéfica ao metabolismo em geral e ao das gorduras, em especial;

3) Reduzir o consumo de carne vermelha e de proteína animal, porque geralmente estes alimentos são consumidos acima das recomendações médicas (20% do valor calórico total ou em torno de 0,8-1,0g de proteína/kg/dia). O hábito do brasileiro de organizar um churrasco, a cada final de semana, faz das carnes vermelhas as grandes fontes de colesterol;

4) Evitar o consumo de camarão, frutos do mar e vísceras como fígado;

5) Diminuir o consumo diário dos ovos (limitá-los a três por semana), pois uma gema de ovo de galinha contém, em média, 300mg de colesterol, quantidade máxima recomendada de ingestão de colesterol para um dia inteiro. Sorvetes, doces gordurosos e bolos que levam ovos e manteiga em suas receitas também são ricos em colesterol;

6) Reduzir o consumo de massas, pães e doces em geral;

7) Reduzir o consumo calórico.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

3% A 9% DAS LESÕES ESPORTIVAS ATINGEM A MÃO OU PUNHO


O uso das mãos na maioria dos esportes é de extrema necessidade, uma vez que sua exposição freqüente aumenta os riscos de lesões. Estatísticas apontam que 3 a 9 por cento das lesões da região mão/punho são decorrentes pela exposição da mão no esporte. Por isso é importante que o atleta tenha um acompanhamento especializado, evitando, desde o início, qualquer tipo de trauma para adquirir total desempenho em suas atividades.

Cuidar bem das mãos prolonga a vida esportiva do atleta. Por isso a Associação Brasileira de Cirurgia da Mão (ABCM) lançou no mês de maio a "Campanha Nacional de Prevenção a Acidentes e Traumas da Mão", visando divulgar ao público riscos e maneiras de prevenir uma futura lesão.

A maioria das lesões deste segmento corporal vem de um trauma agudo (contusão ou fratura) ou de esforços repetitivos. Em primeiro lugar, temos os seguintes fatores: a técnica incorreta, o aumento da intensidade de treino e o tratamento inadequado de lesões anteriores. Uma lesão cada vez mais comum, principalmente nos jogadores de tênis, é a lesão do complexo de fibrocartilagem triangular - estrutura que dá suporte e estabilidade ao punho. Esta lesão pode estar relacionada aos movimentos rotacionais do punho e da carga repetitiva. Mas o trauma que ainda prevalece no mundo dos tenistas é a tendinite, causadas por movimentos repetitivos e/ou traumas, sem contar os famosos cistos, uma espécie de hérnia da membrana que reveste os tendões.

Além de dor, os traumas provocam sensação de formigamento e anestesia em determinadas regiões do punho, além da capacidade atlética alterada.

O primeiro atendimento após o acidente com as mãos é de extrema importância, já que dele depende toda a evolução do caso. O socorro mal conduzido gera graves sequelas ao acidentado, podendo causar incapacidade funcional e aumentando seus gastos. Este pesadelo é a realidade de muitos trabalhadores braçais, artistas, profissionais liberais, esportistas, etc.

Para que estes problemas tenham uma melhor solução, é que foi criada a especialidade de Cirurgia da Mão, que tem além de conhecimento profundo de anatomia, fisiologia e fisiopatologia, um aprimoramento da técnica cirúrgica. O objetivo da Cirurgia da Mão nos traumatismos é recuperar a mão acidentada o mais rápido e o mais perfeito possível para que essas pessoas voltem às suas atividades.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

NOVO PROGRAMA DE TV DA APM ABORDA MAL DE PARKINSON NA ESTREIA

O Ação Saúde, programa de TV da Associação Paulista de Medicina, exibe em 4 de agosto de 2009, um relevante debate sobre a doença que acomete 400 mil pessoas no Brasil e que a Organização Mundial de Saúde afirma atingir 1% da população mundial acima de 65 anos, o Mal de Parkinson.

Na estréia da nova temporada, com cenário remodelado e mais moderno, além de reportagens externas, o Ação Saúde recebe os doutores Egberto Reis Barbosa, livre docente do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da USP, e Elizabeth Maria Aparecida Barasnevicius Quagliato, professora colaboradora do Departamento de Neurologia da UNICAMP.

O médico inglês James Parkinson descreveu, pela primeira vez, em 1817, a Doença de Parkinson ou Mal de Parkinson. Trata-se de uma patologia neurológica que compromete as habilidades motoras e movimentos por conta da perda de neurônios.

Incurável, o Mal de Parkinson pode ser tratado e controlado. Cerca de 80% dos casos ocorre entre 65 e 75 anos, na mesma proporção em homens e mulheres, e apenas 10% dos pacientes têm menos de 45 anos.

O comando do Ação Saúde é de Jorge Carlos Machado Curi, âncora e presidente da Associação Paulista de Medicina.

Um programa sobre as principais questões da saúde feito por quem de fato entende do assunto: os médicos

Ação Saúde tem a meta de se transformar numa referência para o debate das principais questões da medicina e da ciência. Tem linguagem acessível para que a população entenda as deficiências do sistema e as perspectivas de mudanças. É uma contribuição para a formação de uma consciência crítica, além de um incentivo para a maior participação da comunidade nos destinos da saúde.

A prevenção de doenças, atividade física, alimentação saudável, a inserção da iniciativa privada na saúde, as parcerias para gestão, os gargalos do atendimento, as tecnologias, os avanços em tratamento, diagnóstico, e assuntos factuais são abordados em Ação Saúde. A atração tem abrangência nacional e vai ao ar sempre às terças- feiras, às 21h.

"É uma produção voltada para o público em geral, e é uma prestação de serviço da entidade junto à sociedade", destaca Jorge Curi. "Queremos ficar cada vez mais próximos dos cidadãos, pois só assim daremos conta de vencer os grandes desafios da saúde no país".

Ação Saúde pode ser acompanhado nos seguintes canais: Canal 34na TV aberta; Canal 26 na NET; Canal 73 na TVA; Canal 21 na Sky; Canal 221 na Direct TV; Canal 3 na TEC SAT ou ao vivo no site: www.redevida.com.br

CRESCIMENTO DOS CABELOS, CALVÍCIE E TRANSPLANTE: MITOS E VERDADES

É inegável o quanto os cabelos recebem de atenção das pessoas, em acessórios, produtos, penteados, tinturas e escovas, entre muitos outros tratamentos e, até mesmo, "loucuras", como passar maionese para dar brilho aos fios. A atenção e preocupação com os cabelos crescem ainda mais quando achamos que os cabelos estão caindo demais e se teme a calvície.

Dr. Arthur Tykocinski, graduado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e diretor do Tykocinski Medical Group, é quem nos ajuda nessa matéria a responder alguns mitos e verdades do universo dos cabelos, incluindo o transplante capilar. Dr. Arthur tem sua prática voltada ao estudo e tratamento capilar, foi presidente do 16º Congresso Mundial de Restauração Capilar de Montreal e realizou, recentemente, apresentações no 17th Annual Scientific Meeting, evento que aconteceu em Amsterdã e reuniu os principais especialistas em transplante capilar do mundo. Confira os esclarecimentos e cuide melhor dos seus fios:

- Cada pessoa tem um ritmo diferenciado de crescimento capilar.

VERDADE. Cada indivíduo tem uma determinada velocidade de crescimento dos fios, algo como 1 a 1,5 cm/mês. Mas em alguns, ela é menor, especialmente em pessoas que tem cabelos finos. Também a duração total da fase de crescimento influi. Varia de 2 a 5 anos, sendo que nos casos em que a duração é menor, o comprimento total do cabelo será também menor. Quando a pessoa, em função de suas características individuais, combina um crescimento lento com um ciclo curto teremos um quadro de cabelos que não passam dos ombros mesmo.

- Alterações hormonais são os principais fatores que influenciam queda dos cabelos.

MITO. Na maioria dos casos, o problema não é hormonal. Pode haver muitas vezes uma influência hormonal apenas, mas dentro da normalidade. A queda de cabelo deve ser vista como um sintoma e não uma doença em si. Portanto, devemos investigar outras possíveis causas, como deficiências nutricionais, muito freqüentes nas mulheres. A calvície masculina é basicamente determinada pela genética em combinação com os hormônios masculinos, embora existam outros fatores que influenciam como estresse, nutrição e inflamações no couro cabeludo. O melhor é investigar caso a caso para ter certeza da causa e poder dar um tratamento especifico.


- A alimentação é fundamental para a saúde capilar.

VERDADE. Ter uma alimentação saudável, bem como usar suplementos alimentares pode ser um importante adjuvante no tratamento capilar. Não necessariamente resolvendo a causa básica da queda ou da calvície, mas pode contribuir muito para o tratamento, sempre com orientação médica. Além disso, na busca pela saúde e por um corpo perfeito, os exercícios físicos aumentam em muito o consumo dos micronutrientes, oligoelementos e proteínas de alto valor biológico, ricas em aminoácidos essenciais fundamentais para a beleza e saúde dos cabelos. Músculos ávidos por nutrientes podem competir com o cabelo, desestabilizando esse delicado equilíbrio. Trata-se de uma situação que merece suplementação e mais atenção na dieta. A base da alimentação saudável são verduras, legumes, muita fruta, cereais integrais, soja e peixe, além de muito líquido, como água, sucos e chá verde.


- Uma pessoa jovem pode fazer transplante capilar.

NÃO IGNORE UMA PINTINHA NA PELE: PODE SER MELANOMA

Doença é agressiva e cresce 7% todos os anos



Considerado o mais perigoso tipo de câncer de pele, o melanona foi o principal assunto da quinta temporada da série americana Grey's Anatomy e a causa da morte da personagem Izzie Stevens. "A prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais para a cura desta doença, que tem incidência cada vez maior em todo o mundo", alerta o médico-dermalogista, Dr. Cesar Cuono.



Segundo o especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o melanona é o mais maligno dos tumores cutâneos, ocorrendo principalmente, entre os 30 e 60 anos de idade. Excepcional na puberdade, ele é ligeiramente mais freqüente nos homens e na raça branca.



O mal se origina, em sua grande maioria, de nevos pigmentados ("pintas pretas"), daí a importância do auto-exame e da visita periódica ao dermatologista. "É um erro comum o paciente ignorar o aparecimento de pintas na pele e retardar os cuidados, pois quanto mais cedo se diagnosticar, mais sucesso o tratamento terá", alerta Dr. Cuono.



Deve-se, portanto, estar atento às manchas escuras na derme, alterações em "pintas" e procurar um dermatologista uma vez ao ano para uma avaliação de rotina. Pessoas que possuem muitos nevos devem ir o médico a cada semestre.



O grande problema discutido na última edição do Congresso Brasileiro de Cirurgia Dermatológica, em junho, é que pessoas de pele negra podem desenvolver o melanona com maior intensidade. "Num país onde a maioria dos indivíduos tem pele escura, a preocupação com o crescimento da doença assusta e os cuidados devem ser intensos", ressalta.



Fatores importantes na gênese do melanona:

- Genéticos: descritos casos familiares de melanomas;

- Físicos: ação dos raios ultravioletas (exposição constante e sem proteção ao Sol);

- Biológicos: ainda em estudos e podem estar relacionados a influências hormonais.

- Vírus: considerados fatores carcinogênicos importantes.

SECA XIXI DA PETMAIS TRANSFORMA O XIXI EM SUBSTÂNCIA SÓLIDA E SEM CHEIRO, FÁCIL DE SER REMOVIDA

Nesta época do ano, os cães também sofrem com a chegada do inverno e as mudanças bruscas de temperatura. Eles ficam mais retraídos e com pouca vontade de sair de casa. Pensando nisso e nos prováveis "xixis" que possam vir a ocorrer dentro de casa, a Petmais desenvolveu um produto único no mercado brasileiro. É o Seca Xixi, produto que quando aplicado sobre a urina, transforma a substância líquida em sólida em apenas alguns segundos para depois ser removida com a pá de limpeza em pisos comuns e com aspirador de pó em carpetes e tapetes, evitando desta forma o uso de panos de chão e consequentemente qualquer contato do produto e da urina com as mãos. Após a remoção, o Seca-Xixi elimina o odor, proporcionando a total higienização do local, pois possui ação bactericida, sendo desnecessário aplicar qualquer outro tipo de produto de limpeza no local.

"OPERAÇÃO BICHO BOM" REPROVA 13,85% DOS LOTES DE PRODUTOS DE USO VETERINÁRIO EXAMINADOS

Nesta segunda-feira, 3 de agosto, fiscais do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP), autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, reprovaram nove dos 65 lotes examinados de produtos para uso veterinário como ração, suplementos, vacinas, medicamentos, vermífugos, anti-sépticos, bactericidas e para higiene.

Os produtos foram examinados simultaneamente nos laboratórios de São Paulo, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São Carlos, São José dos
Campos e São José do Rio Preto. A operação visa defender o consumidor contra possíveis erros na quantidade dos produtos.

"Este é um setor em crescimento, que tem oferecido cada vez mais alternativas ao consumidor, por isso o Ipem tem intensificado a
fiscalização desses produtos para reduzir e até eliminar as irregularidades", afirma o superintendente do Ipem-SP, Fabiano Marques de Paula.

Na capital paulista, das 14 amostras de xampu anti-séptico Virbac, 125 ml, da Virbac do Brasil Indústria e Comércio Ltda, quatro continham menos
produto do que o indicado na embalagem. O maior erro foi a falta de 9,10 ml do produto.

Nas 20 amostras de alimento para cães Hill's, 156 g, da Colgate Palmolive Indústria e Comércio Ltda, faltavam em média 1,5 g (0,96%) do produto.

As 14 amostras de Wafer para cães Vip Dog, 20 g, da Vip Dog Alimentos Ltda, também apresentaram erro na média: a falta de 1 grama (5%) do produto em relação ao citado na embalagem.

Outro produto que teve erros na média foi o desinfetante Farmasept, 250 ml, da Farmabase Saúde Ltda. Nas 14 amostras examinadas faltavam em média 9,6 ml (3,84%) do produto.

Interior

No laboratório do Ipem-SP em São José dos Campos, fiscais detectaram duas amostras com erros da ração para aves de corte-frangos Vida Rural, da Malta Cleyton do Brasil S/A, dentre as quatorze apresentadas. O maior deles foi a falta de 173 g do produto. Uma das 14 amostras da ração para pintinhos e pintainhas em crescimento Linha Natural Purina, 5 kg, uma tinha 89 g a menos do produto.


Em São José do Rio Preto, os fiscais detectaram em média a falta de 13,2 ml (5,28%) do injetável uso veterinário Bioforte, da Embravest Empresa Veterinária Ltda, dentre as 14 amostras, 250 ml, apresentadas para o exame. Da mesma empresa, foram reprovadas as 14 amostras de antiparasitário de amplo aspectro Embramec, 50 ml, pela falta em média de 6,20 ml (12,40%) do produto na embalagem.

Nas 14 amostras do Vermectina uso veterinário Ivermax, 500 ml, da Dispec do Brasil Ind. E Com. De Prods.Agropec.Ltda, faltavam em média 7,20 ml (1,44%) do produto.

Em 2008, a operação fiscalizou 121 lotes de produtos e 12 (9,99%) foram reprovados.

As empresas autuadas devem retirar do ponto-de-venda os lotes dos produtos irregulares e têm dez dias para apresentação de defesa ao Ipem-SP. A partir deste prazo, o departamento Jurídico define a aplicação da multa que pode variar de R$ 100 a 50 mil, dobrando na reincidência.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

ESTUDO MOSTRA QUE OS BLOGS PODEM SER IMPORTANTES FONTES PARA SE MEDIR O GRAU DE FELICIDADE DE GRANDES POPULAÇÕES

ESTUDO MOSTRA QUE OS BLOGS PODEM SER IMPORTANTES FONTES PARA SE MEDIR O GRAU DE FELICIDADE DE GRANDES POPULAÇÕES
Por Dr. Ricardo Teixeira *


Em fins do século XIX, o economista irlandês Francis Edgeworth imaginou uma máquina que poderia ser capaz de medir o grau de felicidade de um indivíduo, à qual ele deu o nome de hedonímetro. De fato, cientistas sociais têm quebrado a cabeça há muito tempo para criar métodos capazes de medir a felicidade, e uma das maiores limitações para desenvolver a ferramenta ideal é que as informações são menos fidedignas quando o indivíduo sabe que está sendo testado.

Um cientista da computação e um matemático da Universidade de Vermont nos EUA criaram um tipo de hedonímetro capaz de avaliar o grau de felicidade em gigantescas amostragens da população, sem o conhecimento de quem está sendo testado, e seus resultados acabam de ser publicados no periódico Journal of Happiness Studies. Os pesquisadores analisaram um banco de dados de emoções humanas conhecido por We Feel Fine ("nós nos sentimos bem" - www.wefeelfine.org ) que desde o ano de 2005 concentra diariamente 15 a 20 mil novas expressões do sentimento humano provenientes de blogs, incluindo frases escritas na primeira pessoa que contenham a palavra feel (sinto). Foram ainda analisadas 232 mil letras de músicas de mais de 20 mil artistas entre os anos de 1960 e 2007 através do portal www.hotlyrics.net.

Cerca de dez milhões de sentenças receberam uma nota para seu teor de felicidade, dentro de uma escala de 1 a 9 através de metodologia previamente desenvolvida (Estudo ANEW). Nessa escala, por exemplo, a palavra triunfante tem pontuação de 8.87, enquanto a palavra rua tem 5.22 e suicídio 1.25. Entre inúmeros achados, os pesquisadores demonstraram uma redução do grau de felicidade nas letras de músicas ao longo das últimas décadas. Por outro lado, o grau de felicidade nos blogs teve um crescimento sustentado desde o inicio da análise em 2005 até 2009. Foi possível também identificar algumas datas em que o nível de felicidade foi fortemente diferente dos dias que as antecederam ou que as sucederam. Observou-se um pico de maior felicidade nos dias de natal, dia dos namorados, última eleição americana e um pico de queda nos dias próximos à morte do astro Michael Jackson e nos dias próximos ao 11 de setembro. O nível de felicidade não foi diferente entre mulheres e homens, apesar das mulheres apresentarem maior variabilidade. Além disso, o grau de felicidade foi maior em países mais próximos ao equador.

É evidente a importância de se medir a intensidade e a natureza dos estados emocionais em nível populacional e a ferramenta desenvolvida no presente estudo mostra-se muito promissora para o melhor entendimento de fenômenos sociais e econômicos, além de poder apoiar a construção de políticas públicas. Danforth, um dos autores do estudo, revela: " As crianças de hoje herdam um mundo eletrônico que ainda não conhecemos bem, e é fundamental o desenvolvimento de novas ferramentas para entender esse mundo".


Dr. Ricardo Teixeira é Doutor em Neurologia pela Unicamp. Atualmente, dirige o Instituto do Cérebro de Brasília (ICB) e dedica-se ao jornalismo científico em saúde. É também titular do Blog "ConsCiência no Dia-a-Dia" - www.consciencianodiaadia.com.

domingo, 2 de agosto de 2009

Segredos do Pedigree


Assistam o vídeo Segredos do Pedigree. Repassem por favor.


Destaco abaixo comentário publicado na REDEBICHOS. Ajudem aos animais, venham fazer parte da REDEBICHOS.

http://redebichos.ning.com

O video é longo (46 minutos), mas muito informativo. E com certeza não afeta só os cães. Vale a pena assistir, fiquei chocada com a qtde de problemas genéticos causados nos cães em nome do "aprimoramento da raça". A quem interessa esse "aprimoramento", que inclusive desconsidera estudos científicos e opiniões de veterinários? A quem interessa não proibir o cruzamento consanguíneo? E aqui estamos falando de criadores ligados ao Kennel Club, imaginem então o que acontece nas "fábricas de filhotes" dos criadores de "fundo de quintal", que vendem seus filhotes de "pudol" e "hotvaile" por "50 real"...

http://www.viddler.com/explore/dfraga/videos/17/