sábado, 21 de novembro de 2009

Whey protein protege o fígado e rins.

Whey Protein

fonte:http://www.medicinaintegrada.com/emails/page23.html

Numerosos estudos sobre as proteínas encontradas no Whey demonstram o seu potencial para aumentar a imunidade (defesa contra doenças), proteger contra o câncer, auxiliar no emagrecimento e aumentar a massa muscular.
.......................
O uso de Whey está aumentando em todo o mundo, e tem melhorado o ânimo de seus usuários, reduzido a depressão, diminuído o cortisol (hormônio perigoso pois é produzido por nosso organismo em resposta ao stress e pode levar a doenças cardiovasculares e a obesidade).

O consumo de whey protein aumenta os níveis de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem estar.

A deficiência de serotonina é muito comum, e pode ser responsável por casos de depressão, desânimo, e compulsão por carbohidratos (doces, pгes e massas).

No período prè menstrual especialmente podemos encontrar uma maior deficiência deste importante neuro transmissor.

Whey protein protege o fígado e rins.

Eu recomendo a meus pacientes usar Whey Protein diariamente como suplemento alimentar, na forma de shake sabor chocolate, frutas vermelhas, etc... nos intervalos entre as refeições.

Batido com água fria e gelo pode ajudar a emagrecer, pois algumas marcas tem baixo teor de carbohidratos e é rico em proteínas, matando a fome e mantendo a saciedade por um período mais longo.

Alimenta muito mais do que um cafezinho e um pão de queijo que muitas vezes comemos quando estamos com fome.

Escolha o seu Whey Protein na Loja Virtual super confiável Mundo Total, obtenha bom desconto e receba em casa o produto

http://www.mundototal.com.br/secao/22291/Whey-Protein

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Glutamato e Aspartame - O sabor que mata

fonte: http://www.medicinaintegrada.com/emails/page11.html

Aditivos Químicos adicionados aos alimentos podem afetar a formação do SNC de nossos filhos, e provocar problemas de aprendizado e emocionais - inocentes salgadinhos refrigerantes, bolachas, etc... É importante que comecemos a ler as embalagens de alimentos para saber o seu conteúdo, e utilizarmos cada vez mais alimentos frescos e cultivados sem agrotóxicos. Glutamato monossódico (GMS) adicionado nas papinhas dos bebês, alimentos e temperos prontos, catchup, alimentos congelados, etc... causam dores de cabeça e lesões cerebrais, alterações no metabolismo hepático do açúcar, diminuição das defesas na oxidação celular e até indução de stress oxidativo. Evite-os!

Aspartame

Estão associados ao desenvolvimento de tumores cerebrais que vem aumentando extraordinariamente a sua incidência. Se voce quiser ou precisar substituir o açúcar, use a Stevia. Aliás, é muito importante substituir o açúcar refinado pelo mascavo, mel ou orgânico. Vai melhorar muito a sua saúde e de sua família.


Fontes: "Aspartame and headache - New York Journal of Medicine - Shiffman - 1986 " Complications associated with aspartame - 1998 - Clinical Research Reactions attributed to aspartame containing products: 551 cases -Journal of Appliyed Nutrition - 1988 - Roberts Glutamate, A neurotoxic transmiter - Journal of Child Neurology - 1989 - Olney Jornal Americano da Associação Dietética Consumo de refrigerantes por crianças e adolescentes nos EUA : Consequências nutricionais - 1999 - Dra Harnack,PhD
Diniz YS, Fernandes AA, Campos KE, et al.
Toxicity of hypercaloric diet and monosodium glutamate: oxidative stress and metabolic shifting in hepatic tissue.
Food Chem Toxicol (England), Feb 2004, 42(2) p313-19 Singh K, Ahluwalia P
Studies on the effect of monosodium glutamate [MSG] administration on some antioxidant enzymes in the arterial tissue of adult male mice.
J Nutr Sci Vitaminol (Tokyo) (Japan), Apr 2003, 49(2) p145-8

10 QUESTÕES SOBRE OBESIDADE

Numa época onde as mais variadas dietas fazem parte do hábito alimentar, a obesidade figura entre os inimigos mortais da saúde e se caracteriza pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, trazendo prejuízos à saúde do indivíduo e compromete a sua integração social.

"Apesar de se tratar de uma condição clínica individual, a obesidade é vista, cada vez mais, como um sério e crescente problema de saúde pública. O excesso de peso predispõe o organismo a uma série de problemas, como doença cardiovascular, apnéia do sono, hipertensão arterial e alterações na circulação", revela Dr. Vladimir Schraibman (CRM-SP 97304), especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e único orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System).

Em entrevista, Dr. Vladimir Schraibman responde 10 questões fundamentais sobre o tema:

1- Como definir obesidade? Ela pode ser considerada uma doença?
A obesidade pode ser definida como um índice de massa corporal (IMC) acima de 25. Quando esse índice está acima de 40, ela é definida como mórbida. Este número é obtido dividindo-se o peso em quilogramas pela altura em metros ao quadrado. Sem dúvida, a obesidade pode ser considerada uma doença e, nos dias atuais, uma epidemia que só vai aumentar. O tratamento preventivo é a melhor solução. A cirurgia bariátrica tem se apresentado como a melhor solução para os casos de obesidade mórbida.

2- Quais as causas da obesidade? Quais as pesquisas mais recentes nessa área?
Dentre as causas se destacam os fatores genéticos, ambientais (hábitos pessoais e familiares), hábitos populacionais, religião, fatores sócio-econômicos, compulsão ou depressão, entre outros.

As pesquisas mais recentes publicadas no periódico Obesity Surgery apontam para a multifatoriedade na gênese desta questão, levando a enorme dificuldade encontrada pelos pacientes em solucionar a sua situação uma vez instalado o problema.

3- Como saber se a origem é genética, hormonal ou por excesso de ingestão de alimentos?
Não há dados suficientes para que se mensure a influência de cada aspecto, já que a questão é multifatorial.

4- Como identificar quando a obesidade é causada por distúrbios psicológicos?
Geralmente, a obesidade de instalação rápida e sem causa aparente pode estar relacionada a distúrbios psicológicos ou hormonais. São os casos nos quais a pessoa engorda muito num curto espaço de tempo.

5- Podemos dizer que existe o melhor tratamento da obesidade?
A correta avaliação por médico competente é a melhor opção, que poderá indicar o tratamento adequado para o perfil do paciente, de acordo com os fatores relacionados, identificados por exames e consulta. Não podemos falar no melhor tratamento, mas sempre pensar em prescrever um tendo em vista as condições da pessoa. Cada caso é um caso, sempre.

6- Como uma pessoa pode saber que está acima do peso e entrando no quadro de obesidade ou obesidade mórbida?
Pessoas com IMC acima de 25 devem prestar atenção. A presença de familiares diretos com obesidade também deve acender sinal de alerta.

7- Quais os problemas físicos mais comuns ocasionados pela obesidade?
Os problemas desencadeados pela obesidade são inúmeros e vão desde a limitação física a trabalhos básicos e à locomoção, até distúrbios mais graves, como o aumento do colesterol, do triglicérides e da pressão arterial, diabetes, gota, artrose, coronariopatia, insuficiência renal, apnéia noturna do sono, esteatose hepática, insuficiências glandulares, entre outros.

8- Quais doenças que a obesidade pode causar em um indivíduo?
A de maior risco é a Síndrome X ou Síndrome Metabólica, que se constitui por hipertensão arterial, dislipidemia, hiperglicemia e resistencia aumentam a insulina.

9- A diabetes é uma delas? Então, como deve ser o tratamento para controlar as duas questões?
O tratamento deve ser feito a base de dieta hipocalórica, definida em parceria com um nutricionista, atividade física e cirurgia de redução de peso, quando indicado, e prescrição de medicações, quando necessárias.

10- Como o cirurgião gástrico e o endocrinologista atuam juntos no tratamento do paciente obeso?
O tratamento de um indivíduo obeso deve ser multidisciplinar, incluindo ainda cardiologistas, nutricionistas, psicólogos e outros profissionais, de acordo com o quadro clínico.

Perfil

Dr. Vladimir Schraibman / CRM-SP 97304 (Cirurgia Geral e Gastrocirurgia)

Especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e único orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System).

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, com mestrado e doutorado em Ciências Médicas pelo Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, Dr. Vladimir Schraibman é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Videolaparoscópica (Sobracil), é médico colaborador do Setor de Fígado, Pâncreas e Vias Biliares do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo, além de integrar o corpo clínico do Hospital Albert Einstein. Tem diversos artigos publicados em revistas e jornais científicos do Brasil e do exterior, além de intensa participação em congressos nacionais e internacionais.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

ORTOREXIA, A OBSESSÃO POR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL


A ortorexia é um novo transtorno alimentar que ainda não tem um diagnóstico oficial, mas surge quando a pessoa se torna obsessiva em relação aos padrões daquilo que come. As pessoas que têm esta doença têm demonstrado desordens de alimentação ligadas a uma obsessão compulsiva por só comer alimentos saudáveis. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa come, mas fica tão obcecada com a alimentação saudável que chega a ter desnutrição. O transtorno foi descrito pela primeira vez pelo médico Steven Bratman, em 1997, e é frequentemente associado a dietas de vegetarianas ou de alimentos crus.
Segundo Mauro Scharf, endocrinologista da DASA, que é representada em Mato Grosso pelas marcas Cedic/Cedilab, os pacientes ortoréxicos consomem apenas alimentos saudáveis e analisam compulsivamente o conteúdo nutricional de tudo que ingerem. Calorias, vitaminas e nutrientes tornam-se o ponto focal da comida e qualquer alimento considerado não saudável não é consumido. "Estas pessoas levam a obsessão com o conteúdo dos seus alimentos ao extremo, e não se permitem, em circunstância alguma, um desvio do seu programa de tipos de alimentos autorizados", reforça o médico.
Scharf explica que os ortoréxicos podem ficar seriamente afetados e a comunicação em casa também pode sofrer com isso. A pessoa pode começar a se isolar e se tornar distante à medida que se vai fixando cada vez mais nas suas regras dietéticas. Para alguns, a capacidade de desempenhar trabalhos ou de estudar pode começar a declinar. "A preocupação compulsiva chega a um ponto que, por exemplo, pensar em quantas vezes se deve mastigar, acaba deixando pouco espaço para outros pensamentos, fazendo com que a concentração e a motivação acabem por ficar em segundo plano", explica.
Um exemplo dessa tendência é a comprovação de que, nos Estados Unidos, as buscas no Google pela palavra "bacon" têm batido recordes nos últimos anos e vários livros foram escritos no país sobre o impacto do bacon na obesidade. "Hoje existe uma massificação da divulgação sobre os benefícios da alimentação natural e dos malefícios da obesidade. Estas tendências acabam gerando os transtornos alimentares que estamos detectando nas clínicas e postos de saúde", afirma Scharf.
Como muitos transtornos alimentares, a ajuda de um profissional de saúde é importante. Embora a doença não seja tão conhecida como outros tipos de transtorno alimentar, pode ter o potencial de ser igualmente séria para a saúde, assim como qualquer outro transtorno alimentar.


Sinais de Ortorexia
- Examinar cada detalhe nutricional de cada alimento
- Só se permitir alimentos saudáveis
- Ter dificuldades em comer uma refeição preparada por outra pessoa
- Observar e comentar a maneira como outras pessoas preparam a comida
- Analisar diariamente o conteúdo nutricional do que comeu, esquecendo o prazer em comer
- Perder muito peso sem seguir conscientemente uma dieta
- Isolar-se socialmente por causa da dieta saudável

sábado, 14 de novembro de 2009

Pela aprovação do PL 7291/06

O PL dos circos PL 7291/06, na forma de seu substitutivo, será votado dia 17 terça feira na Comissão de Constituição e Justiça (a mesma que aprovou o PL 4548/98 - PL Nono, que descriminaliza crueldades e maus-tratos a animais no país).

http://www.camara.gov.br/internet/ordemdodia/integras/713862.htm

VAMOS NOS MANIFESTAR IMEDIATAMENTE PARA A APROVAÇÃO DO MESMO, COM UMA SIMPLES MENSAGEM, POR EX:

Assunto: Pela aprovação do PL 7291/06


Exmos Deputados Federais, integrantes da Comissão de Educação e Cultura - CEC:


Contamos com o valioso apoio desta Comissão na aprovação do PL 7291/06, considerando que a população brasileira clama pela aprovação do mesmo, visando a proibição de animais em circos. Circo é lazer e diversão, e não combina com maus-tratos de animais.

Cordialmente,




OS DEPUTADOS DIFICILMENTE LÊEM MAS TOMAM CONHECIMENTO ATRAVÉS DOS ASSESSORES, DA CAIXA DE E-MAILS CHEIA !!!

Gratos!!!

E-mails dos deputados titulares da CCJ:


dep.augustofarias@camara.gov.br,
dep.franciscotenorio@camara.gov.br,
dep.mauricioquintellalessa@camara.gov.br,
dep.colbertmartins@camara.gov.br,
dep.emilianojose@camara.gov.br,
dep.joaoalmeida@camara.gov.br,
dep.josecarlosaleluia@camara.gov.br,
dep.jutahyjunior@camara.gov.br,
dep.marceloguimaraesfilho@camara.gov.br,
dep.paulomagalhaes@camara.gov.br,
dep.sergiobarradascarneiro@camara.gov.br,
dep.sergiobrito@camara.gov.br,
dep.cirogomes@camara.gov.br,
dep.maurobenevides@camara.gov.br,
dep.vicentearruda@camara.gov.br,
dep.magela@camara.gov.br,
dep.tadeufilippelli@camara.gov.br,
dep.joaocampos@camara.gov.br,
dep.rubensotoni@camara.gov.br,
dep.flaviodino@camara.gov.br,
dep.bonifaciodeandrada@camara.gov.br,
dep.nelsontrad@camara.gov.br,
dep.carlosbezerra@camara.gov.br,
dep.valtenirpereira@camara.gov.br,
dep.gersonperes@camara.gov.br,
dep.zenaldocoutinho@camara.gov.br,
dep.efraimfilho@camara.gov.br,
Vital Do Rêgo Filho PMDB <dep.vitaldoregofilho@camara.gov.br>,
dep.gonzagapatriota@camara.gov.br,
dep.robertomagalhaes@camara.gov.br,
dep.wolneyqueiroz@camara.gov.br,
dep.cironogueira@camara.gov.br,
dep.josemaiafilho@camara.gov.br,
dep.paeslandim@camara.gov.br,
dep.osmarserraglio@camara.gov.br,
dep.antoniocarlosbiscaia@camara.gov.br,
dep.aroldedeoliveira@camara.gov.br,
dep.eduardocunha@camara.gov.br,
dep.geraldopudim@camara.gov.br,
dep.indiodacosta@camara.gov.br,
dep.marceloitagiba@camara.gov.br,
dep.pastormanoelferreira@camara.gov.br,
dep.felipemaia@camara.gov.br,
dep.sandrarosado@camara.gov.br,
dep.eliseupadilha@camara.gov.br,
dep.mendesribeirofilho@camara.gov.br,
dep.vieiradacunha@camara.gov.br,
dep.vilsoncovatti@camara.gov.br,
dep.fernandocoruja@camara.gov.br,
dep.mendoncaprado@camara.gov.br,
dep.antoniocarlospannunzio@camara.gov.br,
dep.jeffersoncampos@camara.gov.br,
dep.joaopaulocunha@camara.gov.br,
dep.joseeduardocardozo@camara.gov.br,
dep.josegenoino@camara.gov.br,
dep.josementor@camara.gov.br,
dep.marceloortiz@camara.gov.br,
dep.marciofranca@camara.gov.br,
dep.paulomaluf@camara.gov.br,
dep.regisdeoliveira@camara.gov.br


E-mails dos suplentes da CCJ:

dep.sergiopetecao@camara.gov.br,
dep.evandromilhomen@camara.gov.br,
dep.marcosmedrado@camara.gov.br,
dep.chicolopes@camara.gov.br,
dep.joseguimaraes@camara.gov.br,
dep.leoalcantara@camara.gov.br,
dep.pastorpedroribeiro@camara.gov.br,
dep.sandesjunior@camara.gov.br,
dep.sandromabel@camara.gov.br,
dep.domingosdutra@camara.gov.br,
dep.sarneyfilho@camara.gov.br,
dep.aracelydepaula@camara.gov.br,
dep.carlosmelles@camara.gov.br,
dep.carloswillian@camara.gov.br,
dep.georgehilton@camara.gov.br,
dep.humbertosouto@camara.gov.br,
dep.jaimemartins@camara.gov.br,
dep.jairoataide@camara.gov.br,
dep.joaomagalhaes@camara.gov.br,
dep.marialuciacardoso@camara.gov.br,
dep.maurolopes@camara.gov.br,
dep.miguelcorrea@camara.gov.br,
dep.vicpiresfranco@camara.gov.br,
dep.luizcouto@camara.gov.br,
dep.majorfabio@camara.gov.br,
dep.romulogouveia@camara.gov.br,
dep.wilsonsantiago@camara.gov.br,
dep.brunoaraujo@camara.gov.br,
dep.mauriciorands@camara.gov.br,
dep.silviocosta@camara.gov.br,
dep.dilceusperafico@camara.gov.br,
dep.dr.rosinha@camara.gov.br,
dep.odiliobalbinotti@camara.gov.br,
dep.ricardobarros@camara.gov.br,
dep.chicoalencar@camara.gov.br,
dep.eduardolopes@camara.gov.br,
dep.hugoleal@camara.gov.br,
dep.jairbolsonaro@camara.gov.br,
dep.paulorattes@camara.gov.br,
dep.solangeamaral@camara.gov.br,
dep.fatimabezerra@camara.gov.br,
dep.moreiramendes@camara.gov.br,
dep.betoalbuquerque@camara.gov.br,
dep.ibsenpinheiro@camara.gov.br,
dep.mariadorosario@camara.gov.br,
dep.onyxlorenzoni@camara.gov.br,
dep.pompeodemattos@camara.gov.br,
dep.deciolima@camara.gov.br,
dep.paulobornhausen@camara.gov.br,
dep.eduardoamorim@camara.gov.br,
dep.arnaldofariadesa@camara.gov.br,
dep.arnaldomadeira@camara.gov.br,
dep.bispogetenuta@camara.gov.br,
dep.celsorussomanno@camara.gov.br,
dep.edsonaparecido@camara.gov.br,
dep.jorginhomaluly@camara.gov.br,
dep.renatoamary@camara.gov.br,
dep.ricardotripoli@camara.gov.br,
dep.robertosantiago@camara.gov.br,
contato@deputadowillianwoo.com.br